Sem categoria

FAÇA O OPOSTO DO QUE SUA ANSIEDADE MANDA!

Ação Oposta é uma abordagem que pode lhe ajudar a lidar melhor com crises de ansiedade e até mesmo crises de pânico! Mesmo com ansiedade, querendo parar de falar, se sentindo com medo você precisa fazer umas ações para combater a ansiedade que vem repentinamente. Entenda mais sobre isso, com a opinião do especialista em Linguagem Corporal, Vitor Santos do canal Metaforando.

Hoje vamos falar um pouco sobre crises de ansiedade, nos temos um número altíssimo de quase a metade da população mundial segundo os dados que são levantados no livro “Ansiedade o mal do século” – Augusto Cury então quase metade das pessoas no mundo desenvolverão transtornos psicológicos, dentre eles um bem comum que vem pontuando as estatísticas é o transtorno de ansiedade generalizada TAG, ou crise de ansiedade, crise do pânico, fobias sociais e outros títulos nessa linha, talvez você que está lendo esse post já tenha passado por uma crise de ansiedade muito grande, que te impediu, por exemplo, de falar em uma apresentação em público, conhecer alguém, medo de falar com pessoas fora do seu convívio social, enfim são vários sintomas que não vou listar todos aqui.

Mas oque seria a Crise de Ansiedade? Posso dizer que ter certa ansiedade às vezes é natural, termos um pré-estresse antes de um evento que consideramos importante, é normal. Mas o ponto negativo nesta questão é quando a ansiedade é excessiva e acaba te impedindo de ter experiências, imagine o seguinte; você quer conversar com alguém, que conhecer alguém, fazer uma apresentação, que passar por uma entrevista de emprego, uma reunião, mas só de pensar nisto te deixa ansioso, nervoso com uma sensação ruim às vezes até falta de ar e aí ao invés de você querer fazer tal ação, você pensa em desistir com pensamentos do tipo; “acho melhor não ir, melhor não participar, melhor não ir naquela entrevista”, muitas vezes quer m tentar remarcar um compromisso para fugir dele, ou seja, começamos a criar pequenas saídas para lidar com aquela situação.

A ansiedade quando está de forma descabível a ponto de criar uma fobia ela ativa respostas de defesa do seu corpo, um mecanismo que vai entrar numa reação conhecida como luta ou fuga, derivado do medo, quando nos encontramos numa ansiedade muito grande temos essa sensação de tentar fugir para não encararmos a situação, outro exemplo é quando estamos numa roda de amigos e ficamos ansiosos e não conseguimos falar e outra pessoa começa falar, e nós pensamos “ufaa, ainda bem que alguém falou no meu lugar” respiramos e ficamos mais tranquilos. Já aconteceu com você? Porque é exatamente isso que acontece na ansiedade, buscamos ar, precisamos falar, estamos num grupo e quando chega nossa vez de falar ficamos extremamente nervosos, travamos na hora de falar, porque a ansiedade entende que se “entrarmos” naquela tarefa vamos acionar um momento de morte, por isso a sensação de fuga.

Em longo prazo a consequência disso é a tendência que nosso cérebro entenda que a fuga sempre é a melhor saída, e sabemos que não é bem por aí, sabemos que para quem tem ansiedade é frustrante ter que lidar com o momento, passar por ele e não conseguir passar a mensagem do jeito que gostaria e depois ficar remoendo coisas do tipo; poxa deveria ter falado isso, ter falado aquilo, que chato, fiquei ansioso e tal, nós sabemos que é isso que acontece, ou seja, se você tem ansiedade e fica treinando seu cérebro para sempre fugir, isso não vai te deixar satisfeito, mas sim frustrado e você vai perder várias oportunidades na vida como, por exemplo, oportunidades de emprego de ser vitorioso numa situação decisiva no trabalho, oportunidade de ser bem-visto bem cotado no seu âmbito social.

Agora existe algo chamado de ação oposta, vou explicar a teoria que é muito mais fácil do que, na prática, mas esse conceito já vai ficar na cabeça de vocês certo? A ação oposta é um termo que é bem utilizado na terapia cognitiva comportamental que basicamente diz o seguinte; tomar uma ação oposta aquela a que você sente que deveria tomar quando está ansioso, então imagine que eu vou para um programa de TV e na hora de entrar (já aconteceu comigo) apesar de ser uma pessoa bem controlada já tive crises de ansiedades bem graves, foi no programa do Danilo Gentili, entrei extremamente nervoso, o Danilo já foi logo falando comigo: _ “Fala aí Vitor, Beleza?… minha primeira sensação foi começar a pensar: _ Meu Deus!.. Estou aqui, milhares de pessoas me assistindo, estou na TV no programa do The Noite, o Danilo é muito famoso… não vou conseguir falar, nossa… nossa… não devia ter vindo… e agora? Será que vai dar branco?” Enfim a minha primeira sensação foi querer sair dali, correndo, chorando de medo, ir embora dali para me livrar daquele mal-estar, aquela sensação de desespero. E qual foi à ação oposta que fiz? Falei, respondi com um “_ Oi Danilo, fala aí cara, tudo certo?” e naquela hora olhei para ele e senti com todos esses sentimentos de fuga e tomei a ação oposta que a minha ansiedade queria. Minha ansiedade queria que eu saísse parasse de falar, mas pensei; vou fazer o oposto, vou ficar e conversar com o Danilo Gentili, respondi as primeiras perguntas e prossegui, e você acha que foi fácil? Não, mas se você não começar a treinar o seu cérebro a fazer a ação oposta você vai continuar a fugir em situações de crises de ansiedade.

Em contrapartida, quais são as consequências da ação oposta, ou seja, quando você ensina seu cérebro a tomar atitude oposta do que a ansiedade gostaria que você tomasse? Acontecem duas coisas, primeiro o seu cérebro vai dessensibilizar aquele gatilho de ansiedade, então é assim; a sua ansiedade está lá. Alguém falou comigo! — eu preciso sair alguém falou comigo! – eu preciso ficar quieto! Isso é o que seu gatilho de ansiedade entende, quando você dessensibiliza ele, ou seja, você vai mostrar para seu cérebro que não tem problema falar, se alguém me perguntar algo, num programa de TV e eu respondermos, normal, não mata não, depois que eu consegui passar pelo Danilo Gentili, prova de fogo, por ser a minha primeira entrevista num canal de TV gigante SBT e num programa de grande audiência, meu cérebro aprendeu o seguinte; fiquei ansioso, O Danilo me fez perguntas, eu respondi e estou bem, nada de mal me aconteceu, meu coração ainda está batendo! Então assim eu consigo dessensibilizar o gatilho de ansiedade e vou deixando aos poucos de sentir tanta ansiedade que me ocorria em situações iguais aquela vivida por mim e digamos que concluída com sucesso! E segundo que você vai reeditar esse gatilho, por exemplo: antes me perguntavam eu ficava quieto – agora se alguém me perguntar eu consigo responder sem morrer, entende você vai reeditar aquilo que você não fazia por aquilo que você faz mesmo estando ansioso e com medo, em teoria é isso, basta você colocar em prática, e isso não é uma tarefa tão fácil é preciso fazer, se fosse fácil não existiria tanta gente com crise de ansiedade no mundo, mas também se você não tentar você nunca saberá como parar de fugir. Não deixe de treinar seu cérebro e reeditar situações de ansiedade com ações contrarias e positivas.

Obrigado por lerem até aqui, espero que voces tenham gostado desse breve comentário sobre ansiedade, um abraço e até breve!

Equipe – Metaforando.

Você também pode gostar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *