Sem categoria

ANSIEDADE É DIFERENTE DE MEDO?

É normal sentir medo? Ansiedade é diferente do medo? O que significa “se sentir ansioso”? Veja algumas colocações por Vitor Santos, especialista em Linguagem Corporal do canal Metaforando.

Já parou pra pensar porque voce fica com medo? E o que acontece na sua cabeça quando você fica com medo? Vamos comentar sobre isso hoje aqui no blog de acordo com minhas reflexões pessoais, sim vou falar sobre o MEDO essa emoção que algumas pessoas “demonizam” outras dizem que é melhor viver sem medo, destemido, pois o medo é o causador dos maiores problemas, já vi muitos cursos de desenvolvimento pessoal, ensinando como perder o medo, tipo: “É o seu medo que te trava” “você deve agir mesmo com medo” e quando você tem uma crise de ansiedade e vai falar em público? É o Medo o seu maior vilão?

Vamos entender que temos diferentes situações, o medo, sobre o aspecto da teoria evolutiva da psicologia evolucionista fala o seguinte; nós temos as emoções básicas as emoções  primárias, essas emoções elas reagem a partir de estímulos como um programa de ações que vão causar alterações psicofisiológicas em nosso corpo para podermos lidar com esses estímulos, isso de maneira bem resumida. Ou seja, das sete emoções básicas que são universais nós temos o MEDO, então ele estaria correlacionado em nosso processo evolutivo, nós sentimos medo porque nossos ancestrais também sentiam medo e isso fez que nós ficássemos vivos até hoje, evoluímos através das eras, através dos anos. Imagine que o ser humano vivia em sociedade e precisava se comunicar, mas não tinha uma linguagem complexa,  de compreensão como uma língua “falada”, porem tinha uma necessidade de comunicação, por isso que viviam em grupos, conseguiam caçar e era mais fácil se protegerem também. Imaginem que naquela época um membro da tribo está lá deitado e avistasse um predador se aproximando, um felino gigante como não existia uma língua falada, não tinha como ele alertar para o grupo tipo: “_ corre galera, tem um Leão chegando aqui e vai comer a gente!” certo? O que ele conseguia fazer então? Olhar para a ameaça e fazer uma baita expressão de MEDO para os membros do grupo e assim eles entendiam que tinham que agir, então a função das expressões faciais está intrinsicamente associada ao nosso processo evolutivo, dito isso, o MEDO não é descartado, não dá pra você remover o medo da sua vida você precisa do medo, da emoção medo, principalmente para sobrevivência, é por causa do medo, por exemplo que você freia o carro para evitar um acidente, quando você vê um animal vindo em sua direção você foge, quando vê uma ameaça você corre para se salvar, mas o que eu quero falar é do medo que pode acontecer na ansiedade e dessa forma fica um pouco mais complicado falar porque o medo em si, representa uma ameaça momentânea como citei a pouco, mas na ansiedade é uma ameaça que nunca chega, uma ameaça futura, ou seja, parece que ela nunca vai ter fim, isso é um medo projetado lá no futuro, ex: Vou ter que falar em público daqui um mês, aí vem o medo medo medo, resumindo vou ficar sob o efeito do medo, isso é ansiedade.

Outra coisa que quero pontuar é que no medo, uma das três respostas que podemos ter chamada de FFF (Freeze Fight or Flight) seria: Freeze = Congelar então você vai entrar numa reação conhecida como luta ou fuga, quando você está congelado porque acabou de ver de repente um Leão solto na rua e sua primeira reação vai ser um Freeze , você vai congelar, travar, na sequência vai entrar em Fight or Flight = luta ou fuga nesse momento seu cérebro vai começar a mudar toda a programação de ações dele, para te preparar ou pra lutar ou para sair correndo, é isso que vai acontecer em seu organismo, você vai começar a secretar catecolamina, cortisol, adrenalina em sua corrente sanguínea que vai causar alterações como, por exemplo enrijecimento muscular, deslocamento do fluxo sanguíneo para as pernas para os músculos grandes das pernas, porque caso precise correr você tenha resposta muscular, as pupilas vão apresentar contrações, dilatações, suas expressões faciais, você terá uma alteração no fluxo cardiorrespiratório porque você precisa de mais sangue naquele momento e tudo isso ocorre em menos de 2 segundos e é o MEDO.

Então você começa a entender que o medo não necessariamente é uma “entidade interna” que quer te prejudicar e acabar com sua vida, seus projetos e suas apresentações em público enfim, mas o medo ele é natural e não é preciso demonizar essa emoção, mas o que podemos entender sobre o medo também, principalmente o medo projetado na ansiedade é que a “fobia” é um medo “irreal” lembrando que estou apenas pontuando um assunto, não sou psicólogo, estou falando com base em meus estudos, continuando então, por exemplo, se eu vou falar em público e fico com medo, vem a “fobia social” porque acho que vou morrer, isso é um medo irreal ele é ilógico, porque eu não vou morrer se for falar em público de fato.

Quando começamos a distinguir isso e entendermos que o medo não precisa ser “demonizado” se você estiver sentindo medo em alguma situação entenda que ele é normal, mas sim, pode diferenciar a parte que é ansiedade e a parte que é o medo a reação natural e tentar conscientizar sua própria mente de que a “fobia” ela é um medo irreal, um medo ilógico que vai tentar provar pra você, que você precisa ficar naquela condição de temer falar em público, por exemplo e assim mil coisas passarão em sua mente tentando te fazer lembrar que a última vez que você falou em público foi terrível, você travou, gaguejou, ficou nervoso, a fobia vai tentar associar o estimulo a uma consequência extremamente pesada, não é que você vai errar e se dar mal ela vai associar com tragédias piores como perder o emprego, morrer enfim as piores consequências imagináveis possíveis. Mas é importante se conscientizar de que isso NÃO é a sua resposta natural, o medo existe sim, é uma resposta natural, válido e necessário para sua sobrevivência, mas a ansiedade de um evento futuro ela se enquadra como uma sensação, um medo ilógico de algo, quando você se conscientiza e quanto mais você falar pra você mesmo que aquela sensação é um medo ilógico e não faz sentido, mas você vai conseguir estar distante do estímulo, por isso se eu tenho reconhecimento, se eu tenho consciência de como funciona o evento de certa forma não estou no “olho do furação” eu já estou um pouquinho mais longe do furação, já não estou ali no miolo, certo?

Então pessoal era esse o breve comentário contextualizar sobre o medo e diferenciar ele da ansiedade, espero que tenha sido proveitoso ler até aqui.

Até o próximo post! Abraços.

Transcrições -Equipe Metaforando.

Você também pode gostar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *