Blog

Como é a “Cara de um Psicopata”?

Será que existe mesmo “cara” de bandido, será que é possível identificar uma pessoa como criminosa, marginal, psicopata ou assassino apenas pela face dele? E, porque Michael Myers de Halloween usa uma máscara sem expressão? Veja o que diz o perito Vitor Santos.

Hoje vamos entender um pouco sobre a face do mal, se é que existe uma! Vamos pegar como exemplo o assassino Michael Myers do filme Halloween aquele da musiquinha tenebrosa, vamos lá, para quem não sabe de quem estou falando Michael Myers é o protagonista e assassino principal do famoso filme de terror Halloween, lançado em 1978 e dirigido por John Carpenter, se você ainda não assistiu recomendamos que o faça, é um clássico do terror é horripilante! No filme um dos destaques é que o assassino principal usa uma máscara macabra por ser “No Expression”, ou seja, não tem expressões faciais é uma face morta e neutra e varias pessoas tentam entender porque que aquilo acontece porque que a face dele é neutra e hoje citando esse personagem vamos entender um pouquinho porque que aquela máscara se definiu daquela forma e se realmente existe uma face de assassino.

Falando primeiramente sobre a face de assassino, muitas teorias tentam entender se ela existe mesmo, ou até se podemos predizer o comportamento de uma pessoa pela sua face ou se a forma do rosto dessa pessoa está mais propensa a fazer determinada ação ou não. Cesare Lombroso que é considerado um dos pais da criminologia, desenvolveu uma teoria a respeito do comportamento facial de que as formas do rosto poderiam dizer se aquela pessoa teria predisposição a ser mais violenta agressiva, um criminoso ou uma pessoa mais branda, a respeito da teoria de Lombroso temos evidências contrárias de forma cientificas. Um estudo feito pelo professor Jorge Goméz Valdéz mostrou de que não existe correlação entre a forma do rosto e o comportamento agressivo, então basicamente de forma cientifica não existe “cara” de bandido, assaltante ou criminoso, o mal e a mentira não tem rosto e não tem lado eles podem ocorrer vindos de qualquer pessoa, fiquemos atentos!

Estudo de Jorge Goméz Vladéz

Em vista disso faz muito sentido a máscara do Michael Myers não ter expressão, poderia ser um ponto de vista do filme, da direção de arte e até mesmo do roteiro em dizer que o mal não tem face e pode ser de qualquer pessoa mesmo, pode ser um vizinho, um professor, um pastor, um padre e até um padeiro e, porque não? Então a possível explicação já estaria no roteiro do filme do porque aquela máscara sem expressão. Segunda explicação ainda do ponde de vista técnico do filme, existe uma lei de roteiro chamada, “não mostre o monstro”, quanto menos você mostra o “monstro” no personagem e foca nele mais medo você gera na sua audiência. Um exemplo desses acontece no filme “O Tubarão” do Spielberg, praticamente vemos o filme inteiro, 80% do filme somente a barbatana do tubarão passando na tela com aquela música sinistra ao fundo e assim o fato de você ver apenas aquele pequeno traço do “Monstro” é que faz a imaginação “bomba” tipo” Nossa! que tamanho será que é esse monstro? Por isso que não mostrar o rosto do Michael Myers, e deixar que ele tenha uma face neutra e tenebrosa, ajudou a amedrontar ainda mais o telespectador e aguçar sua imaginação em querer saber quem se escondia por trás daquela máscara.
A terceira explicação dessa face do assassino no filme Halloween é que fica mais barato fazer uma máscara do que ficar fazendo maquiagem toda hora no personagem, vamos pensar, se fossemos um diretor de filme B e o nosso orçamento fosse lá embaixo, geralmente as locações eram mais florestas, campings, não teria que investir muito nas locações, não faria sentido gastar um alto valor em maquiagem, assim a escolha de uma máscara ficaria mais em conta para um filme que tem um orçamento baixo, um exemplo disso é o filme sexta-feira 13 o protagonista Jason Voorhees que taca o terror, também usa máscara.

Vou tecer aqui dois comentários específicos que são bem bacanas associados ao comportamento psicopático, o primeiro fato dessa máscara não mostrar nenhuma expressão, ser neutra, entra naquela ideia de que psicopatas não transmitem emoções e isso não é uma verdade, eles transmitem emoções sim, com um comportamento emocional totalmente diferente do nosso, mas transmitem suas emoções, porem o fato da máscara não ter formas, sinais de expressões faciais diz muito a respeito do tipo de comportamento facial, uma pessoa que é psicopata com transtorno antissocial ela tem dificuldade de se expressar, então ela não vai ficar fazendo caras e bocas ela vai ser um pouco mais contida em suas emoções faciais e a máscara transmite isso muito bem, portanto como pudemos observar a máscara tem totalmente relação com o personagem psicopata, uma pessoa que tem a face “neutra”. O segundo comentário é o “Uncanny Valley” que é o vale da estranheza, quando algo parece muito ser humano, mas quando chega na face algo de muito estranho ocorre e reagimos com aversão porque parece ser um humano, mas quando olhamos a face, chocamos com aquela máscara, isso ocorre porque nosso cérebro não consegue detectar expressões faciais verdadeiras por isso essa estranheza e foi oque aconteceu no filme “O Sonic” ficou bem esquisito, parecido com o “dollynho”, o sorriso do capeta (rs) brincadeiras a parte.

No caso do filme Halloween ocorre também, o Uncanny Valley, porem de maneira proposital, e funciona muito bem, porque o nosso cérebro interpreta essa informação de maneira estranha você vê o rosto do Michael Myers sem expressão nenhuma, ele mata as pessoas apenas com aquela mesmo expressão da máscara, não vemos expressão de raiva nem de força quando ele está matando, seu cérebro vai achar esquisito, vendo aquela cena, homem de máscara parece ser humano mas com aquela máscara parada e tenebrosa fica estranho, mas para esse tipo de filme é oque funciona e muito bem, por isso que quando éramos pequenos esses “Monstros” causavam tanta aflição em nós, porque é um “monstro” com aquela “cara parada” e quando ele olha pela janela no filme sem fazer expressão nenhuma é muito estranho e tenebroso, então basicamente são esses pontos que favorecem ali a escolha da face sem expressão na mascara de Michael Myers como uma das faces mais amedrontadoras do mal dos filmes de terror, mas lembrando que a única face do mal está na ficção porque como vimos hoje não existe suporte comprovado que uma face ou o formato de um rosto é voltada para determinar comportamentos, como, por exemplo, de um assassino.

Michael Myers personagem do filme Halloween

Bom pessoal, vamos ficando por aqui esperamos que tenham gostado de saber um pouco mais sobre a face do mal! Fiquem mais atentos ainda!

Abraços – Equipe Metaforando.

Você também pode gostar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais em:Blog