Blog

BATMAN: O AUTOCONTROLE EMOCIONAL (INTELIGÊNCIA EMOCION AL – BATMAN)

Como ter o autocontrole emocional do Batman? Qual a psicologia do Batman? Entenda mais sobre a forma de pensar do cavaleiro das trevas, por Vitor Santos do canal – Metaforando.

Como o Batman consegue ser uma pessoa altamente, concentrada, organizada, lidar com o crime, estudar se atualizar e ainda resolver os problemas pessoais e emocionais de sua vida?

O que há por trás da mente do homem morcego quando ele está trabalhando? Vamos tentar descobrir?

Batman é o ser humano, mais humano dos super-heróis, não possui poderes, é um homem de carne e osso como qualquer um de nós. Ele também passa por problemas emocionais, psicológicos e de relacionamentos e ainda tem que lidar com tudo isso, enquanto combate ao crime.  Apesar de todo o dinheiro que ele tem e de todas as posses, o Batman é alguém mentalmente cheio de rachaduras, ou seja, em nada o seu dinheiro consegue ajudar no seu auto controle emocional, isso tudo acontece porque quando pequeno, o bilionário Bruce Wayne testemunhou o assassinato dos seus pais o que lhe causou um profundo trauma psicológico e isso gerou pra ele um transtorno de estresse pós traumático onde teve sua qualidade vida afetada por pesadelos, insônia e muita ansiedade.

O Interessante é que ele cresce e se desenvolve com esses traumas do passado como uma pessoa que não tem controle das emoções, se você acompanhar a história, quando o Bruce é mais novo antes de se tornar o Batman, ele se mostra um garoto que explode muito fácil demonstrando não ter controle algum sobre suas emoções. Os traumas do passado, a infância e a adolescência ainda continuam martelando na cabeça dele até a vida adulta, contudo após essa fase ele aprende a utilizar uma emoção universal para controlar toda sua mente que é o MEDO.

O medo é uma parte muito importante, aprender lidar com o fato de que sentimos medo desde criança, é primordial para podermos dominá-lo e enfrenta-lo. Interessante que todas as criaturas têm medo, e eventos traumáticos, geralmente causam muitos danos emocionais, mas quando você faz uma reavaliação, esse medo pode se transformar em algo poderoso em uma força que te motiva a ser uma pessoa superior e superar de fato aquilo que você teme, ou aprender a conviver com aquilo, compartilhando o seu medo. E é basicamente o que Bruce Wayne faz quando assume a persona à figura do morcego, ele está compartilhando, ele está “aceitando” seu medo para todos e em público, e colocando seu medo em contato direto com a realidade e com as pessoas a sua volta.

Uma vez utilizando o medo, como força motriz, força de controle, ele passa a ser uma pessoa emocionalmente bem mais equilibrada, para melhor entendermos a psicologia do Batman, vou citar alguns livros consultados para esse contexto: Becoming Batman e Batman and Psychology.

Então como funciona a mente do Batman? O que seu personagem traz para gente?

Sim, estamos falando de um “cara” que tem uma nutrição acima da média, uma habilidade cognitiva acima da média, um autocontrole acima da média, tudo acima da média! A pergunta é como ele consegue organizar toda vida dele para de fato fazer o papel que ele desempenha.

É interessante falar de um “lado” do Batman que a maioria não conhece e não comenta que encontrei numa HQ do Batman “XAMÔ. É uma HQ onde você consegue entender o lado psicológico dele, essa HQ relata o seguinte: Bruce Wayne está buscando habilidades para desenvolver o Batman, viajando para vários países, passa alguns anos fora viajando e coletando vivências, habilidades marciais e experiências do crime. A HQ conta que ele está em uma viagem ao Nepal, uma região bem gelada e Bruce chega lá com a desculpa de que é um ‘playboy’ que vai para esquiar e acontece que ele acaba sendo caçado por um criminoso da região e passa alguns dias na floresta, na neve então, ele acaba perdendo a mochila dele e lutando corpo a corpo com um criminoso. Ele toma uma facada no braço, mas consegue jogar esse criminoso do penhasco, porém o cara sobrevive e continua perseguindo Batman que está sem os equipamentos, nessa hora, Bruce começa a perceber quão fraco ele é, quão dependente ele é de hardware e começa a entrar em crise e nesse momento ele é resgatado por uma tribo indígena. Essa tribo indígena resgata ele, curam ele e assim ele passa alguns dias conhecendo a metodologia dos índios e criando seu próprio equipamento. Além disso, acaba conhecendo a rotina daquela tribo, e até então o Bruce nunca havia parado para refletir sobre o papel dele de como ele chegou no momento de querer ser o BATMAN (nessa HQ ele ainda não virará o Batman).

 

Imediatamente, após esse ocorrido e com novos conhecimentos e experiências na bagagem, ele volta para Gotham e a primeira coisa que ele faz é estudar a história da cidade, como Gotham virou o que é. Estuda também a estória da própria empresa, do avô dele quando fundou a Wayne Interprises (vira depois a Wayne Tech). O interessante é que quando ele está estudando todo o sistema de Gotham, Bruce percebe que vingar a morte dos pais dele não faz sentido algum, porque ele vai estar apenas alimentando algo que Gotham já está mais que abastecida. Nós não sabemos que ele vai se tornar o Batman nessa HQ, ele está coletando várias habilidades para ser um “super poderoso justiceiro” para se vingar do cara que matou seus pais. No primeiro momento, como mostra na HQ ele quer realmente a vingança, sendo preciso ele ficar sem os seus equipamentos, sem privilégio nenhum de milionário Bruce Wayne e conviver com quem não tem privilégio para perceber o quanto que o conhecimento, e principalmente a noção social mesmo no combate ao crime, são importantes.

E isto eu já citei várias vezes e trazendo para nossa realidade no CPTED (Crime Prevention Through Environmental Design) sendo a prevenção do crime através do desenho urbano. O ambiental é a capacidade de um espaço urbano para influenciar as decisões dos criminosos que precedem o ato criminoso. Quando você vai fazer a prevenção anticrime pensando no designer ambiental — urbano, você começa a avaliar, por exemplo, fazendo pesquisas em quais regiões tem mais crimes, quais horas do dia tem mais crime, qual é perfil que é mais hostilizado pelos criminosos e tudo isso você precisa ter um conhecimento social, cultural e fazer pesquisas antes de você começar mapear a cidade. Citando mais exemplos, em qual bairro precisa urgentemente ter mais iluminação, um bosque, uma praça, porque nessas áreas de lazer costuma ter mais cidadãos e crianças, isso consequentemente dificulta para que o criminoso possa agir nesses locais abertos. Portanto, acho bem pertinente trazer esse ponto e deixar aqui relatado do homem morcego, o nosso nobre cavaleiro das trevas, o Batman, porque a galera gosta de falar que o Batman luta três, quatro, dez artes marciais e que ele tem muito equipamento, NÃO galera! Ele tem uma baita noção social da cidade que ele mora e isso é entender que é preciso muito conhecimento na bagagem para ser como o BATMAN!

É HORA DE APRENDER O QUE SIGNIFICA SER UM HOMEM” – Batman

“EU SOU O BATMAN!”

 

Obrigado por ter lido até aqui, até o próximo post.

Transcrição – Equipe Metaforando.

 

Você também pode gostar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais em:Blog