Blog

Troque suas sandálias! (O conto de Abu Kassem)

 

Descubra a mensagem que traz esse conto “AS BABUCHAS DE ABU KASEM”, um conto da tradição árabe, nesta colocação do especialista em Linguagem Corporal, Vitor Santos do canal Metaforando.

Se você não trocar seus sapatos a sua vida vai ser “trocada”

“Hoje vou falar um pouco do conto “As babuchas de Abu Kassem”, onde faço uma reflexão sobre estarmos sempre em busca de mudar algum comportamento nosso conforme entramos em cada nova fase de nossas vidas.”

Esse conto é antigo, veio lá das Arábias, que fala da figura de um senhor comerciante chamado Abu Kassem, ele tinha muito sucesso com seu comércio, conseguia bons resultados em golpes de “sorte”, acabava comprando uma mercadoria que estava perto de vencer, vendia mais barato e mais rápido, as vezes negociava até carregamento de frascos de perfumes mais “fracos”, de essência fraca por estarem velhos e fazia liquidações mirabolantes, revendendo os perfumes por um alto preço e assim se apresentava sempre como um comerciante bem sucedido. E apesar de ter muito dinheiro e enriquecido ao longo da sua vida, as suas babuchas, ou seja, suas sandálias eram as mesmas de quando ele ainda era pobre, ele remendava as babuchas sempre, tanto que é dito no conto que nem o pior e o mais moribundo dos mendigos da região usaria algo tão deplorável como as babuchas de Abu Kassem.

Mesmo com muitas indagações e conselhos das pessoas falando para ele jogar as velhas babuchas fora e comprar novas, ele sempre respondia que não e remendava-as mais uma vez, colocando uma fita, um prego, amarrava aqui e ali e continuava usando as mesmas babuchas de sempre, mesmo depois de ter ganhado muito dinheiro e mudado de vida.

Aconteceu que em um determinado momento aquilo começou a incomodar muito as pessoas que não conseguiam mais ver aquela situação e assim começaram a cobrar cada vez mais de Abu Kassem, uma atitude em se livrar de vez daquelas deploráveis babuchas, dizendo que elas não combinavam com a nova vida que ele tinha, afinal ele havia deixado de ser um pobre miserável e se tornara em um homem bem sucedido, um comerciante de sucesso, insistindo que ele precisava então de um par de babuchas novas.

Sendo assim, ele ficou tão irritado com tantas cobranças que ele resolveu se livrar daquelas velhas sandálias, mas isso desencadeou muitas tragédias das quais ele não esperava.

Primeiro ele tenta se livrar delas em uma casa de banho, deixando as sandálias em uma sala e quando volta do banho ele não encontra mais as sandálias, assim decide colocar uma outra babucha que está ali na mesma sala, sem se dar conta que elas pertenciam a um Juiz, e acaba indo embora pra casa com as sandálias.

Quando o Juiz fica sabendo do ocorrido e descobre que foi o famoso comerciante Abu Kassem, ele aplica uma multa fenomenal nele por ter levado as suas sandálias embora, inclusive manda prendê-lo, então Abu paga a multa, sai da cadeia e recebe as suas velhas babuchas de volta. Com esse fato, ele fica tão bravo que decide arremessar as malditas sandálias que o fizera sofrer tanto, para bem longe, então ele desce até o riacho da cidade e arremessa com toda força para dentro do rio suas velhas babuchas que foram levadas pela correnteza do riacho e acabaram indo parar na boca dos dutos de distribuição de agua, entupindo os mesmos, deixando a cidade toda sem agua por vários dias, gerando assim um enorme prejuízo aos moradores. E quando foram averiguar descobriram que a causa disso era nada mais que as velhas e ridículas babuchas de Abu Kassem, fazendo com que ele pagasse mais uma altíssima multa pelo ocorrido, e fosse preso novamente. Ao pagar a multa e sair da prisão ele recebeu as velhas babuchas de volta e ficou revoltado.

Dessa vez ele ficou com muita, muita, raiva, e grande fúria de ver aquelas malditas sandálias novamente que lhe fizeram perder ainda mais dinheiro, então decide atear fogo nas babuchas para que elas virassem cinzas, assim o fez deixando as sandálias queimando na varanda da sua casa , mas ocorreu que um cachorro ao passar por elas resolve pegar uma babucha para brincar e joga a sandália por cima do muro e a mesma acaba acertando a cabeça de uma mulher grávida que estava passando na calçada, o conto diz que essa mulher leva um grande susto, um choque tão grande que perde o bebê com um aborto espontâneo e mais uma vez o Juiz averigua que o motivo dessa tragédia foi por conta das babuchas malditas do comerciante e manda prendê-lo novamente aplicando assim mais uma multa fenomenal fazendo com que Abu Kassem, fique cada vez mais pobre com essa e outras tragédias que ocorrera, chegando ao ponto de que o único bem que lhe restara eram as velhas babuchas.

MORAL DA HISTÓRIA:

E qual seria um dos ensinamentos que esse conto nos traz? Bem, ele fala que de tempo em tempo é preciso que troquemos nossos sapatos, ou seja trocar a nossa roupagem para o molde exterior do qual você se identifica, porque, caso contrário você pode pegar um apego muito grande, muito dependente daquele molde que você tem, que quando você tentar transcender, tentar estourar a bolha, fazer sucesso, o seu comportamento padrão vai acabar voltando para o antigo molde, igual as babuchas que sempre retornavam, mesmo que o personagem fosse outra pessoa, ele ainda usava os moldes do passado, é como se a todo momento criasse uma espécie de sinergia. Portanto, se você não trocar seus “sapatos”, seus moldes de tempo em tempo ao ponto deles não serem mais separados de você, e mesmo que você tire os sapatos eles se tornam parte de você, porque você cultivou aquilo durante anos e isso acaba sempre voltando para te assombrar.

Eu li esse conto no livro:“A Conquista Psicológica do Mal ”, um livro muito bacana que fala do lado negativo da mente humana, o lado sombra da mente, fazendo um paralelo com a psicanálise de yung, mas basicamente a ideia que ele traz por trás desse conto é a seguinte; se de tempos em tempos a gente não regra comportamentos positivos para gerar uma mudança, regrando novos hábitos, novas leituras, novos aprendizados é como nós estivéssemos mantendo ainda aquelas “velhas babuchas do passado” e pode chegar um momento da nossa vida em que vamos olhar e não vamos mais nos identificar com elas, com aqueles moldes, daí vamos querer nos livrar delas, mas descobriremos que será tarde demais para isso e a nossa vida pode acabar “se” mudando para que tudo o que nos resta sejam as velhas e malditas babuchas voltando para nos assombrar. Lembre-se, para uma vida nova é preciso babuchas novas é importante não deixarmos passar o momento certo de trocarmos nossas babuchas!”

Muito obrigado por ter lido até aqui, até o proximo post.

Transcrição – Equipe Metaforando.

 

Você também pode gostar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais em:Blog