SUA COMUNICAÇÃO É POLUÍDA? PARA DE FAZER ISSO…

Você está se comunicando ou poluindo o ouvido dos outros?

Hoje vamos falar sobre comunicação nas palavras de Vitor Santos que por sinal, trabalha com comunicação, fez cinema é roteirista e falou em seu canal sobre uma nuance da comunicação que é quando você comunica algo para alguém, ou seja, você transmite uma ideia, ainda mais hoje em dia em que a todo o momento estamos compartilhando informações nas redes sociais, como noticias, movimentos associados a política, ao atual governo dentre outras informações. Vamos então à colocação do especialista em Linguagem Corporal Vitor Santos.

Pessoal, será que quando comunicamos algo estamos transmitindo fatos ou poluindo? Quando nos comunicamos passamos informação ou poluímos uma informação que existe? Pode ate ficar difícil de entender, mas vou dar um exemplo aqui de um fato que aconteceu numa comunicação com minha equipe do Metaforando quando estávamos indo para uma reunião e mandei uma mensagem no nosso grupo respondendo uma pergunta com o nome de uma cidade específica a mensagem que eu havia recebido era sobre uma inscrição que uma pessoa havia conseguido fazer e estava contando para mim, antes de entrar para a reunião para qual estava me dirigindo, nessa hora, uma pessoa da minha equipe me perguntou algo como: “-Vitor quando vai ser essa viagem para o Rio de Janeiro”? Eu prestes a entrar em uma reunião focada em outra pauta, já estava “ansioso” o que é normal, ai meu foco voltou todo para a pergunta e comecei a pensar em reponde-la sobre a ida para a cidade, tal e minha mente ficou tomada com o assunto ali e resolvi perguntar para pessoa da minha equipe: — Como assim? Viagem para o rio de Janeiro? (Porque além de estar ansioso para a reunião fiquei preocupado com a pergunta, pois não sabia de onde ela havia tirado aquela informação) e ela disse: “-Não porque, você respondeu naquela mensagem Niterói né?” Oi? Entrei de novo para ver a mensagem e… poxa vida, aí entendi oque ela estava querendo dizer e não era nada disso, veja, uma pessoa do grupo falou que iria finalmente dar entrada na carteira de habilitação dela e eu conhecia a cidade dessa pessoa e tem uma autoescola lá com o nome de Niterói-car ,ou seja, o nome de uma cidade + car, inclusive eu conheço a cidade e sabia ter essa auto escola lá, então respondi: -Pô que legal, vai ser em Niterói mesmo? NiteroiCar, só que a pessoa do grupo viu essa mensagem e passou para todos os membros da equipe a informação errada, tipo; “gente vamos acelerar o processo que o Vitor vai viajar para o Rio de Janeiro ele falou que vai para Niterói!” … entenderam oque é uma informação poluída?

Comunicação poluída é quando você pega um fato e compartilha uma interpretação, muitas vezes não sabemos a diferença, pois o fato ele é um fato! (que baita definição rs) vamos lá, um fato pode ser avaliado de forma fria, racional e não tem comprometimento com o lado emocional e o fato geralmente é simples e se resume a algo bem simples, por exemplo nessa situação oque poderia ser pensado pela pessoa que passou a mensagem errada;“ O Vitor falou a palavra Niteroi, será que ele vai para lá? Será que conhece alguém de Niterói? Oque será que tem lá? Mas será que é Niterói mesmo? Será isso ou será aquilo? Ela poderia criar essa hipótese, contanto que ela se lembrasse de falar o fato que era;“ O Vitor falou Niterói no grupo, só!

A interpretação que na análise de mensagem verbalizada, nos chamamos de poluição, o que é essa interpretação? Ela é, na verdade uma versão poluída de um dado, quando ela passa por um filtro racional e singular da pessoa onde ela vai fazer uma avaliação do que ela acha e do que faz sentido para ela e aquilo é uma interpretação que no nosso caso chamamos de poluição. Quando a gente comunica dados, falando de comunicação estratégica e de ser uma pessoa mais racional, você tem que evitar e fugir da poluição, um outro exemplo de poluição são as Fake News, onde pessoas mal intencionadas distorcem os fatos, mas quando a pessoa faz “sem querer” ela só está poluindo sem más intenções, sem querer.

Então quando não foge da poluição na forma de comunicação você acaba monopolizando recursos atoa, envolvendo pessoas, gastando tempo e tempo é dinheiro. Então imagina que um membro de minha equipe colocou em alerta toda equipe, para equipe começar a trabalhar mais rápido, correr porque essa pessoa “entendeu” interpretou que eu iria para Niterói, minha equipe ficou alarmada, ficou mais estressada, mais do que no comum, trabalhou de forma que não precisava, resumindo a ópera, gastou recursos desnecessários, pois a equipe ficou tentando entender o que poderia ser aquela informação errada, e perdeu um tempo e todos perderam com isso. O foco deste post é: quando você está comunicando algo, você já parou pra pensar, quantas vezes você passa uma informação poluída para frente? Oque quando você mesmo polui uma informação? Quando, por exemplo, alguém te dá uma informação e você não questiona tipo; “Aconteceu isso mesmo”? Foi dessa forma mesmo? Ou você esta julgando assim? É muito importante tentar separar poluição do dado. Importantíssimo!

Se você quer ter mais controle do que está acontecendo, não quer se assustar atoa, não quer perder recursos, vale a pena sempre questionar, antes de comunicar, “espera aí, essa informação que estou recebendo é um dado? É um fato? Ou é uma informação manipulada, uma informação poluída?” Portanto, questionem sempre quando receberem uma informação e tentem sempre perguntar para a fonte se essa informação é factível, e se é factível quais provas você tem ou a pessoa que te passou a informação, pode apresentar para que você a compreenda como factível para que assim você evite passar uma poluição como informação?

Espero que vocês tenham gostado dessa informação que vocês pensem nisto: você faz comunicação ou poluição com suas palavras? Você consegue transmitir informações ou não? Até próximo post.

Vídeo do canal – Vitor Santos – link: https://youtu.be/cMWUGYEI_Js

Abraços – Equipe Metaforando

5 SINAIS DA ATRAÇÃO.

Quais são os cinco sinais de linguagem corporal que apontam de que uma pessoa realmente está te querendo?

Hoje vamos falar sobre um tema que muita gente pede no canal Metaforando, os sinais de linguagem corporal que podem ser utilizados na sedução, vamos então para esse tema empolgante que é a linguagem corporal da sedução.

O primeiro alerta aqui é que você não deve levar tudo ao pé da letra, vários pesquisadores como Paul Ekman, Roland Tompakow, Pierre Weil, Aldert Vrij, Cliff Lansley, Pamela Meyer, vários pesquisadores falam que linguagem corporal é algo que precisa ser contextualizado, não pegue um sinal especifico sem levar em conta o contexto, e achar que ver esse ou aquele sinal aponta para isso, ou aquilo, e tirar assim conclusões precipitadas tipo: “a pessoa quer meu corpo nu numa tabua”, não! Não vai nesse tá?

Vamos falar daqueles sinais que ocorrem durante o ato da paquera, do chaveco, mas são sinais que você precisa levar em conta no contexto, você precisa analisar a situação como um todo e não olhar para a pessoa porque ela mexeu no cabelo e já “chegar junto” nela, calma lá!

Os sinais que vou passar aqui são reguladores, vão te dar um guia de que nível que está a aproximação daquela pessoa com você, se você vê vários sinais desses que eu vou falar hoje, com uma frequência muito grande, é muito provável que aquela pessoa de fato quer que você vá até ela, quer uma aproximação, ou seja, ela está atraída por você, mas lembrando, olha o contexto e não avance o sinal, beleza?!

ENTÃO VAMOS AOS SINAIS:

O primeiro deles é o toque ou os TOQUES NAS ZONAS ERÓGENAS do nosso corpo, as zonas erógenas são descritas por vários pesquisadores, principalmente pelos psicanalistas como regiões do nosso corpo que estariam intimamente conectadas com iniciação de respostas sexuais, ou seja, seriam as partes do corpo que se você tocar faz aquela coceguinhas que depois dos 15 não é mais coceguinhas.

É comentado no livro O Corpo Fala de Pierre Weil e Roland Tompakow, que nós possuímos regiões do nosso corpo que estão mais associadas a respostas sexuais, ou seja, se você está tocando naquela pessoa, naquelas regiões, ou se a pessoa está tocando em você nessas regiões, poderia estar associado a uma linguagem de tensão sexual, por assim dizer.

Uma pesquisa recente também chamada, Topography of Human Erogenous Zones, mostra para gente os principais pontos que estariam associados ao toque que libera respostas sexuais. Basicamente como vocês podem ver as regiões mais quentes, são as regiões que estão mais propensas a deixar a outra pessoa, com desejos.

Regiões essas mais evidentes como, por exemplo, o pescoço, as orelhas, no caso das mulheres, a região próxima aos seios, a região interna das coxas, próxima da região da altura do quadril, da cintura.

No caso dos homens temos os braços, o peitoral, da parte das costas, tanto os homens como as mulheres, tem uma região próxima aos Glúteos que é bem associada a respostas sexuais, tem a parte de trás da perna, à panturrilha, a posterior da coxa, e fica aqui um alerta, não chegue tocando no corpo do outro sem permissão, isso é crime, mas como eu falei esses sinais nessas regiões, podem ocorrer ali durante uma tensão sexual, então se a pessoa começar a te tocar com frequência e você está autorizando e está gostando desse toque e você estimula o toque nessas regiões, pode ser que você esteja provocando respostas que direcionem para uma relação sexual, por assim dizer.

O segundo sinal muito claro é a FREQUÊNCIA DO TOQUE independente dele ser ou não praticado na zona erógena, a frequência do toque diz muito, basicamente quando eu gosto de uma pessoa, quando eu quero ter mais contato com algum objeto, alguma situação, alguma pessoa, eu quero gerar mais impressões sensoriais, então uma tendência muito grande quando uma pessoa está gostando de você, quando ela está se sentindo atraída, é querer ficar tocando em você, tem pessoas que gostam de tocar, dar aquela “seguradinha” que é conhecida como toque hipnótico, então independente da pessoa ficar tocando ou não em uma zona erógena, se ela ficar com uma frequência de toques muito elevada, ela pode sim, estar demonstrando que ela quer mais informações táteis sobre você, vale uma ressalva, tem pessoas que já tem um habito muito grande de tocar, sair tocando, por exemplo, quando eu estava na Paraíba, se eu não me engano, e lá, era muito cultural esse negócio do toque, e que não necessariamente qualquer pessoa estava atraída por mim, então preste atenção na linha de base, lembra o que eu falei contexto! Mas via de regra, se no contexto for tudo certo, e a pessoa ficar tocando em você toda hora, quer dizer que ai tem coisa, você pode retribuir o toque ou já tentar direcionar a conversa para algo um pouco mais íntimo se for de seu interesse.

O terceiro sinal é o AUMENTO DOS GESTOS MANIPULADORES OU AUTO-PACIFICADORES, é descrito em artigos como, por exemplo, Movements with Precise Meanings, do Paul Ekman, do Cliff Lansley, é escrito também em Telling Lies que quando uma pessoa fica um pouco mais ansiosa, um pouco mais nervosa, é comum que ela comece a se alto manipular, exibir o alto toque, que pode ser desde massagear as costas das mãos, coçar o dedo, alguma parte do corpo, pescoço, ou até mesmo ficar ajeitando a roupa, ficar se ajeitando, jogar o cabelo, isso pode ocorrer quando a pessoa está um pouco ansiosa, e geralmente essas respostas podem ocorrer quando uma pessoa está mentindo também, no caso da paquera e da sedução, quando alguém fica ansioso, isso pode demonstrar, conforme a escritora Pamela Meyer pode mostrar em Lie Spotting, que essa pessoa está ansiosa por conta da sua presença, ou seja, se uma pessoa se importa com você, se ela se sente atraída por você, ela tem uma tendência a ter uma resposta de ansiedade quando ela te vê, então observa essa pessoa, ela está lá tranquila no canto dela e quando ela olhou para você, ela começa a se alto pacificar, arrumar o cabelo, arrumar a roupa, quer dizer que alguma coisa com você, ela encanou e fica preocupada se a aparência dela está bacana, porque ela se importa com a sua opinião, mais um sinal ai de atração, beleza?!

O quarto sinal é o direcionamento do quadril, no livro O Corpo Fala, uma abordagem é apresentada sobre as vidas instintivas que no caso seria representado pela região abaixo do tórax, a cintura, o quadril, essa seria na teoria composta pelo Pierre Weil e Roland Tompakow, a região mais instintiva, por isso quando se tem uma movimentação corporal nessa região da barriga, por ser associado a algo mais instintivo do homem, e não muito racional, por exemplo, uma pessoa que está com muita fome, uma tendência dela é entrar num lugar e apontar o quadril, a barriga na direção da comida, a pessoa para e fica olhando porque ele está interessado naquilo, e outra tendência que você pode observar, é também em pessoas com interesse, até mesmo interesse sexual, é virar o quadril, direcionar o quadril na direção da pessoa que ela está interessada, isso pode acontecer muito, inclusive tem até uma resposta das pernas que é bem comum, se você estiver sentado conversando com uma pessoa que você tem interesse, não só interesse afetivo, até um interesse maior como, por exemplo, uma tensão sexual, há uma tendência da sua perna, seus joelhos se direcionarem para a direção dessa pessoa, isso é abordado também nos capítulos mais próximos do fim do livro O Corpo Fala, onde traz uma espécie de dicionário um livro de sinais não verbais, e um sinal muito chamativo em atração em linguagem corporal da atração, é justamente o direcionamento do corpo, isso significa que a pessoa está dando atenção para aquilo que ela direciona, e se o quadril estiver direcionado e apontado, ou se a pessoa estiver requebrando o quadril, fizer algum tipo de molejo no quadril, pode ser também que ela esteja querendo chamar sua atenção.

   Eles citam alguns exemplos no livro, como uma mulher que percebe que está sendo vista por uma pessoa que ela gosta, aí ela sai do ambiente dando uma rebolada para chamar atenção daquela pessoa, e lembrando, não é porque uma mulher saiu rebolando que ela quer alguma coisa com você, lembra-se do contexto.

O quinto e último sinal é a sustentação do olhar, Henrik Fexeus fala no seu livro “A Arte de Ler Mentes”, sobre como gerar persuasão e até mesmo simpatia, empatia em outras pessoas, é falado sobre a oculesica, a ciência que estuda a zona de interesse visual, e ele fala sobre a sustentação do olhar, pessoas quando querem paquerar ou quando gostam do que estão vendo, tendem a demonstrar interesse com a frequência do olhar e a sustentação do olhar, quando eu gosto de alguma coisa, meus olhos vão à direção daquela coisa, se eu entrar em uma livraria, numa locadora, e tiver o gênero que eu gosto mais de filme, de livro, a tendência é que meu olhar vá diretamente para esse gênero e eu fique focado naquilo ignorando todo o resto, e ai que está uma dica prática, se você está no dia a dia, na escola, numa festa, em algum local que tem uma pessoa que com frequência, os olhos dela se voltam para você, esse é um grande sinal de que ela está interessada, se ela ficar sustentando o olhar então, quer dizer que o interesse é bem elevado.

Bom pessoal, essas foram nossas 5 dicas da atração, para você que está tentando saber se sua paquera está mesmo a fim. Obrigado e até o próximo post.

Abraços – Transcrição – Equipe Metaforando.

5 COISAS QUE LIE TO ME ENSINOU ERRADO.

Confira a colocação do perito Vitor Santos:

Eu Conheci linguagem corporal assistindo Lie To Me, e hoje sendo um especialista na área, eu vejo que algumas coisas essa série me ensinou de forma errada.

Hoje nós vamos falar um pouco sobre a série Lie To Me, essa série que moldou gerações, principalmente, fez muitas pessoas ficarem fãs de linguagem corporal.

Lie To Me, uma série maravilhosa que provavelmente você já conhece, talvez assim como eu, você tenha conhecido linguagem corporal vendo essa série e também deve ter assistido The Mentalist com Patrick Jane.

Lie To Me foi uma série de televisão norte americano, transmitido pelo canal Fox, de 2009 até meados de 2011, a série chegou a ser passada aqui no Brasil, também, no canal Fox Brasil e depois ela foi reprisada na rede globo com o nome, engana-me se puder.

Nessa série, o personagem principal que é o Dr.Cal Lightman era um especialista em linguagem corporal, mas o diferencial é que esse doutor e pesquisador, um cara que foi para vários países pesquisando a expressão facial de todo mundo, lembra “por acaso”, Paul Ekman, o psicólogo americano que tem sido pioneiro no estudo das emoções e expressões faciais.

E na serie Dr. Call com esse conhecimento todo, ele tinha a sua agência o Ligthtman Group que dentre vários treinamentos, consultorias, também realizava investigações ajudando inclusive o FBI a detectar o comportamento dos mentirosos e prender uma galera só entendendo o comportamento não verbal dessas pessoas.

A série foi um sucesso, desde o seu lançamento que já tinha aquela abertura icônica que você com certeza deve se lembrar de que eram repletos de sinais, números, gestos, marcação já fazendo você se sentir um detetive só vendo a abertura.

Como tudo que é bom, dura pouco, a série Lie To Me foi cancelada, terminando a sua terceira temporada. Alguns boatos rolaram na época, dizendo que o presidente Barak Obama teria solicitado que ela fosse cancelada, descontinuada, porque a série estava ensinando em cada episódio, ainda mais que os episódios tinham exemplos analisando políticos, e ensinando as pessoas a como detectar mentira, isso seria ruim para as eleições que estavam próximas.

Claro que isso é um grande boato, em minha opinião, uma grande mentira. Mas boato é boato.

Lie To Me apresentou para nós o universo da linguagem corporal nos mostrando principalmente o universo das micro expressões faciais, com aquela famosa frase; “A verdade está estampada em nossa cara!”

A série mostrou muitas coisas dessa área, como gestos ilustradores, gestos pacificadores, posição de cruzamento de braços, micro expressões faciais e  eu não sei vocês, mas quando eu assisti a série Lie To Me, eu me senti entrando em um universo inimaginável, porque eu via as coisas na série, ai eu saia da série e começava a analisar as pessoas em casa, no colégio, na escola, na academia, e pra mim, aquilo tudo era muito louco, na verdade Lie To Me era o primeiro EAD de linguagem corporal.

Só que hoje eu separei pra falar a vocês cinco “coisinhas” que a série ensinou de forma um pouco “errada”, vamos assim dizer como errada aquilo que não tem verificação cientifica, ou seja, aquilo que não é passível de ser explicado cientificamente ou que na prática não funciona dessa forma.

Porque sim, acredite se quiser, eu recebo email, direct, mensagens, onde a pessoa questiona certas coisas como: Vitor eu assisti Lie To Me duas vezes, você acha que eu preciso fazer um curso de linguagem corporal?

Então vamos lá, começando pelo primeiro sinal, Lie To Me, ensina a analisar micro expressões facial corretamente?

Como eu falei, a série fala bastante das micro expressões faciais, mostra o que é o que não é, mostra o principio do sorriso, fala nas contrações nos pés de galinha, mas tudo tem um ponto.A série foca muito em expressões faciais que são genéricas ou até mesmo que são ensaiadas por atores, o que não é lá exatamente o que vai acontecer na vida real.

Dr. Cal Lightman na serie Lie To Me

No dia a dia temos muitas dificuldades paralelas para analisar micro expressões faciais, por exemplo, movimentação de cabeça, se o cara virar o rosto, como que você vai analisar o perfil do rosto dele, você tem que ter um treinamento específico para isso.

Sem falar que a série não faz uma diferença clara entre micro e macro expressões, codificação facial enquanto a pessoa está falando, então a série mostra o básico do básico, de micro expressões faciais.

A segunda coisa que a série ensinou errada, pistas oculares, se eu não me engano, tem um ou outro momento da série onde o Dr. Cal Lightman olha para uma pessoa e fala: “-olha está vendo, aqui na verdade ele se lembrou de alguma coisa porque ele olhou para cima e para o lado direito, então ele está lembrando e não está inventando”.

Como é dito e entendido por vários pesquisadores, até hoje, pistas oculares não tem comprovação científica, é uma ideia muito difundida, principalmente por praticantes da PNL, mas via de regras tem vários pesquisadores como o professor PHD, professor emérito da universidade da Pensilvânia ALDERT VRIJ, tem também vários e vários artigos que testaram essa teoria de pistas oculares para detectar mentira, e não conseguiram detectar mentira com isso, basicamente a precisão de você usar as pistas oculares é pouco superior a 50%, é a mesma coisa que você olhar para a pessoa e jogar uma moeda para saber se ela está ou não mentindo. Então isso foi uma das coisas da série que foi ensinado de forma errada.

Terceiro critério, detectar mentira em um único sinal, a série bate bastante nessa tecla e em vários momentos que o Dr.Cal Lightman olha um comportamento e fala: “- está vendo, o cara coçou a cabeça, isso aqui é um sinal de incerteza, então certeza ele fez isso, ele mentiu, e por causa desse sinal, vamos prendê-lo”!

Depois de ter estudado muito, hoje eu sei que não é bem por ai, para que seja feita uma analise você tem que fazer através multe canais, é aplicado um protocolo que se baseia em 6 canais, e esse protocolo tem que ser testado cientificamente para ter eficácia e validade também. Como por exemplo, o protocolo SCANS Six Channel Analysis, que é o protocolo que eu utilizo, conta com 6 canais: face, Linguagem Corporal, Estilo Vocal, Qualidade vocal, Conteúdo verbal, Fisiologia, para aplicar e poder concluir um laudo.

Sem mencionar que a série foca muito no sinal matador o Dr. Cal Lightman está lá “analisando” um suspeito e num dado momento ele para tudo e diz: -“o cara contraiu a boca, parou tudo, pega ele!”.

 Na linguagem corporal, uma das realidades propostas é o conceito dos 3 Cs, que é Contexto, Congruência e Combinações, ou seja, combinações, não é um sinal, são combinações de vários sinais que vai te dar uma capacidade de interpretar o que aquela pessoa está sentindo, mais uma coisa que a série não ensinou de forma muito correta.

Quarto critério para prender uma pessoa com base em uma analise de linguagem corporal. Cara dava até gosto ver lá na série o Dr. Cal Lightman com aquela convicção dele quando falava: – mentiu! Nesse momento a policia vinha e pegava o cara porque descobriu que o cara estava mentindo, isso é lindo, mas isso é só na ficção, na vida real não funciona dessa forma.

Eu já gravei um vídeo em meu canal Metaforando, com o professor da universidade federal de Minas Gerais, professor de direito, Dr. Túlio Vianna, advogado criminalista, formado pela universidade de Bologna, e basicamente falando sobre laudo, quando você gera um laudo de linguagem corporal, que seria o que o Dr. Cal Lightman faz na série, e que é oque eu faço também hoje em dia, posso dizer que é bem minucioso, você está gerando uma peça jurídica, certo? Uma prova por assim dizer, e uma prova, ela vai ter a sua parte no processo penal, em toda persecução penal, mas é quase que impossível ela conseguir solucionar o caso.

Isso porque no Brasil a gente tem vários critérios, vários conceitos penais que não vão favorecer uma prova cabal, vamos dizer assim, o primeiro deles, a gente tem o In Dúbio Pro Reo, que é na dúvida, você decide a favor do réu, e não para incriminar o réu, então você imagina que você tem uma analise de linguagem corporal, e na audiência aquilo é visto como algo um pouco subjetivo, é a única prova que tem, o advogado argumenta isso, e o juiz pode então anular aquela prova por conta do In Dúbio Pro Reo, essa prova está muito subjetiva, não sei se o cara está mentindo, se a única forma de provar que o cara está mentindo é essa, então está anulado.

Outra coisa, aqui no Brasil não existe laudo matador, o cara provou no laudo que fulano estava mentindo, não! Espera lá, o cara apresentou um laudo, mas a última palavra é do juiz, é ele quem vai decidir se a pessoa é culpada ou não.

Então dificilmente você vai ter uma situação dessas Lie To Me na vida real, você que quer trabalhar com linguagem corporal, ou até mesmo com psicologia jurídica, dificilmente você vai ser o cara que vai chegar e falar: – “olha só, descobri que você estava mentindo, prendam ele”! As pessoas vão te chamar de louco e você ainda pode ser acusado por calúnia e difamação.

E vamos ao quinto critério, que pelo amor de Deus, quando eu escuto isso, ser um natural, como a personagem da serie Torres, a Torres para quem não entendeu, ela era uma natural, uma pessoa que desenvolvia habilidades naturais de detecção de mentiras, ela não precisava de curso nenhum, de estudo nenhum, ela era a natural, a pessoa que sabia detectar.

Na época, eu confesso que eu nunca pensei assim, eu nunca me imaginei um natural, mas o que eu recebo de gente mandando mensagem no meu direct falando, Vitor, eu acho que eu sou um natural.

ESCLARECENDO O “SER NATURAL” :

Vamos lá galera, primeiro, ser um natural é algo muito difícil, geralmente o processo para você se tornar um natural é muito perturbadoras, as pessoas que são consideradas naturais, que não precisam de cursos para detectar mentiras, tem uma habilidade natural em saber que a outra pessoa está mentindo, elas conseguem detectar a mentira de qualquer pessoa, em praticamente 100% das situações, mas o passado delas é marcado por negligência de atenção, negligência parental, abuso sexual, abuso físico e abuso psicológico, são pessoas que na infância vivenciaram algo traumatizante, sequencial, vários episódios traumatizantes, e por conta disso desenvolveram uma habilidade de saber quando alguém ia machuca-las, por isso que elas acabaram virando naturais, e antes de você pensar assim e pensar que é essa pessoa, fora todos esses critérios pesados que eu já falei da infância, os naturais representam uma parcela muito pequena da população, até mesmo inferior a 5% da população mundial, e isso é dito inclusive no artigo The wizards of deception detection da Maureen O’Sullivan e Paul Ekman, uma pesquisa que durou anos.

Então é assim, se vocês pensarem: “eu acho que sou natural, eu sou natural”  é que vocês conhecem o seu pai, sua mãe, seu irmão, sua irmã, por isso que você acerta as mentiras deles.

Se você chegar para analisar um cara que é suspeito, o cara vai te levar na conversa larga, então calma, estude bastante a respeito antes de tirar conclusões precipitadas.

Bom pessoal! Espero que vocês tenham entendido meu ponto de vista e alertas de Lie To Me, levando em conta que apesar dos pesares, foi uma grande série e tem meu respeito.

Abraços e até o próximo post.

Transcrição – Equipe Metaforando

A CHARLATÃ QUE “LIMPAVA” A CARTEIRA DE SEUS CLIENTES.

Uma Charlatã foi condenada por extorquir dinheiro de suas vítimas! Como ela fazia isso? Quais sinais de manipulação e charlatanismo ela demonstrou?

Isso mesmo, uma médium que fazia “limpeza espiritual” na vida das pessoas tirava maldições, foi declarada culpada por extorquir dinheiro delas, se essas pessoas sabiam disso, porque elas davam dinheiro para essa médium?

Hoje o assunto é desmascarando charlatões, vamos falar sobre um caso real, de uma charlatã real, que foi considerada culpada e está pagando sua pena na prisão Norte Americana, por extorquir dinheiro de pessoas vulneráveis.

Para falar sobre esse caso o perito Vitor Santos, especialista em Linguagem Corporal utilizou como fonte uma matéria do jornal The New York Times e várias outras matérias que falam sobre o caso de Sylvia Mitchell. Vamos à análise:

O QUE ESSA MULHER TINHA DE DIFERENTE?

Ela era uma médium que oferecia serviços, em teorias espirituais, basicamente, dentre várias coisas, ela tinha muito sucesso, removendo maldições, encantamentos e feitiços de pessoas que achavam que estavam nessa condição, de amaldiçoados e enfeitiçados. Vou destacar o comportamento dessa charlatã, e ver o que se relaciona e o que tem a ver com alguém que está tentando te enganar, para você ficar atento também.

A primeira coisa que a gente consegue observar nos relatos das pessoas, das vítimas, é que a Sylvia se preocupava muito em criar um gatilho de dependência, nas pessoas que ela iria atender. Então era muito comum as pessoas dizerem que precisava da ajuda da médium, aí a médium conversava com elas, (o artigo chega até a dizer que a médium assustava suas vítimas), geralmente ela falava algo muito assustador, muito espalhafatoso, muito estrondoso, as vítimas ficavam assustadas. Então a médium colocava um gatilho de dominação, dizendo para a pessoa, ou melhor, deixando bem claro que a pessoa precisaria dela, criando esse gatilho de dependência.

No livro “Dangerous Personalities” do ex-agente do FBI, Joe Navarro, é citado como que manipuladores acabam criando em você, uma sensação de dominação, na qual você pensa que não tem forças suficientes para tomar alguma atitude, alguma decisão, e acaba pensando que é melhor confiar no manipulador, confiar na pessoa que está te manipulando, isso se chama gatilho de submissão ou gatilho de dominação. Basicamente eles entram na sua cabeça, manipulando suas emoções e acabam fazendo com que você acredite mais na palavra deles, do que na sua.

Então nós vamos para o nosso segundo ponto, vendo as matérias e vendo os relatos das vítimas de Sylvia Mitchell, observei que ela fazia muita manipulação emocional. Tem uma cliente dela, no caso, a cliente que ela roubou mais dinheiro, que ela extorquiu mais, onde a Sylvia foi criando vários gatilhos, a cliente era uma mulher importante, tinha o seu destaque social, então, a Sylvia brincou com isso, disse que na vida passada, essa mulher teria sido uma princesa do Egito, uma princesa muito rica, muito poderosa, muito cobiçada, manipulando o ego da cliente, inflando o ego da cliente, fazendo a cliente ficar confortável, ficar à vontade com ela, por que ela estava assim de certa forma, bajulando a cliente.

Em contrapartida ela diz uma informação estrondosa, você foi amaldiçoada no passado, como uma princesa do Egito, te lançaram uma maldição muito forte, você encarna, você volta, passa os ciclos e até hoje essa maldição está com você, então observem, ela cria agora, a manipulação do medo, ela manipulou o ego, deixou a pessoa “inflada”, agora deixa a pessoa vulnerável, a pessoa acaba ficando com medo, no artigo, as vítimas diziam ficarem com medo de não fazer o que ela estava falando, isso também é citado no livro “Dangerous Personalities” de Joe Navarro; que os manipuladores geralmente não vão para um diálogo racional com você, eles não vão te explicar, não vão dar detalhes, tipo; “pode ser que aconteça isso aqui ou ali”, não! O charlatão vai te manipular pela emoção, ele vai colocar sua emoção lá em cima, depois ele vai colocar sua emoção lá embaixo, como ela fez dizendo: _ você foi uma princesa, mas você está amaldiçoada, mas pode voltar a ter a vida de princesa, se você se livrar dessa maldição, tipo aquela cena do filme a hora do gelo, onde ele fala, a gente vai viver! A gente vai morrer!

A charlatã, Sylvia Mitchell

O que nos leva para o nosso terceiro critério, CHARLATÕES, pessoas que querem te enganar, golpistas, não são racionais, eles não fazem uma comunicação racional, eles são extremamente racionais, eles são bem espertos, mas na hora de se comunicar com você, deixam tudo mal-entendido, o dito pelo não dito, não comunicam as coisas de forma clara, de forma direta, objetiva, por exemplo, a médium Sylvia Mitchell falava para as vítimas dela coisa do tipo; você está amaldiçoada porque foi uma princesa cobiçada no passado, vamos fazer o seguinte, você precisa melhorar e treinar o seu abandono material, ser menos voltada para as coisas materiais, então, eu vou fazer um teste com você, deixa US 15 mil comigo para treinar seu abandono, pode ficar tranquila, deixa comigo, é só um teste para treinar esse seu abandono, vamos começar assim, mas ela não explicou de forma direta sobre esses USD 15 mil seria o valor dos serviços de médium charlatã enfim o pagamento dela.

Agora se esses USD 15 mil iriam retornar para a vítima era outra estória, era exatamente nesse ponto que as vítimas perdiam, por que elas ouviam esse argumento, você está passando por um teste espiritual de abandono material, ai a vítima pensava, eu deixei lá o meu dinheiro, mas não está voltando, ela não me devolve.

Exatamente por isso que os charlatões nunca se comunicam de forma clara, é sempre o dito pelo não dito, porque nessas brechas que deixam abertas, onde eles não falaram de forma clara, são nessas brechas que eles irão te explorar, irão fazer o golpe e te prejudicar.

Então fique atento, você vai faze alguma coisa? Tenha garantias, um exemplo, você quer US 15 mil? Você pode até acreditar que tenha uma maldição, que você queira fazer esse exercício de abandono espiritual, mas tenha uma garantia, faça um contrato de serviço, ou outro tipo de contrato, onde diz que você está entregando US 15 mil em troca de um serviço, mas que depois esses Us 15 mil voltam para você, ou qualquer coisa desse tipo, mas faça um contrato.

PORQUE OS CHARLATÕES FAZEM ISSO?

Pode observar, quase nunca tem um contrato, sempre fica o dito pelo não dito, fazem isso para pegar a pessoa pelo emocional, deixando ela preocupada com a maldição ou dizendo que forças negativas que estão sobre ela, assim se facilita na hora de pedir o dinheiro e a pessoa entregar, ela acaba cedendo. Então a dica que eu dou é a seguinte, está na dúvida? Está sentindo que você está muito emocionado? Pisa no freio e faça perguntas, faça muitas perguntas, tenha garantias.

Último ponto que a gente vê nos relatos da Sylvia Mitchell, é que charlatões, geralmente apresentam o plano perfeito, raramente você verá um charlatão apresentando algo que tenha uma margem para algo negativo, geralmente eles apresentam a solução ideal, não existe outra ideia, apenas a deles é a melhor, é a ideal. Normalmente eles fazem isso porque muitos deles são narcisistas, são extremamente arrogantes, mas a maioria quer apenas colocar o plano perfeito para ludibriar pessoas que acabam acreditando nisso, porque a maioria das pessoas sabe que não existe o negócio perfeito. Por mais que você pesquise a compra de uma casa, um carro, não vai existir a compra perfeita onde só tem vantagens, então, os charlatões, tentam colocar o plano perfeito, a solução perfeita, logicamente para poder te enganar, para que você acredite que está fazendo o melhor negócio da sua vida, mas, na verdade você está perdendo.

Bom pessoal, eu vou ficando por aqui, espero que vocês aproveitem esse post para detectar os charlatões que cruzarem seus caminhos. Fiquem atentos!

Abraços – Transcrição -Metaforando