Blog

PORQUE VOCÊ DEVE SEMPRE APRENDER COISAS NOVAS?

Aprender coisas novas ajuda nosso cérebro se manter saudável? Como estudar coisas novas, fazer novos cursos, workshops, ler livros novos, pode nos deixar saudáveis e até mesmo prevenir o Mal de Alzheimer.

Qual foi a última coisa que você aprendeu neste mês? Se você não aprendeu nada então você já está perdendo alguma coisa.

Hoje vamos falar sobre como faz bem para nosso cerebro aprendermos coisas novas na visão do especialista em Linguagem Corporal e investigador profissional Vitor Santos.

Começamos com a pergunta do perito, — Oque você fez neste último mês? Um curso novo? Leu um livro novo? Participou de alguma mentoria? Enfim você aprendeu algo novo? Útil? Existe uma frase de Stan B. Walters que diz “Se você não está aprendendo, você já está perdendo” Exatamente isso, quando passamos tempo sem nos reciclarmos sem estudarmos coisas novas, já estamos perdendo algo, e, porque devemos estudar coisas novas? Mesmo que seja na sua área de atuação? Porque isso é benéfico?

Primeiro ponto, quando passamos muito tempo sem revisar um material e queremos contar com aquele conteúdo fica mais difícil para seu cérebro acessá-lo, uma vez que nosso cérebro não é uma caixa infinita que vamos enchendo de conteúdo e a hora que precisamos vamos lá e pegamos um conteúdo que colocamos lá há 10 anos, por exemplo, não conseguimos recuperar aquela antiga informação com facilidade, então quando ficamos muito tempo sem revisitar uma informação que colocamos no cérebro é muito mais difícil o acesso a este conteúdo, ou seja, se você tem uma área que está executando, muitas vezes você pode estar errando coisas básicas e corriqueiras que você pensa… Poxa! Não me lembro disso, como é mesmo? Eu sabia… Mas tudo isso é porque passmos muito tempo sem acessar aquele determinado assunto que de fato essa informação acaba perdendo o sentido para você. Portanto, você deve sempre estar alimentando informações, mesmo que você não queria mudar de área, adquira mais conteúdo de sua própria área buscando conhecimento e novas informações para sua área de atuação, não deixe de se informar e aprender coisas novas em outros segmentos também, isso exercita seu cérebro.

Outra coisa bacana é que o nosso cérebro pode ficar destreinado, num estado ocioso e devemos deixa-lo, digamos, no formato “Fit” o cérebro assim como qualquer outra parte do corpo, qualquer músculo, se ele for treinado para determinada situação, a tendência é que esse musculo fique mais forte, mais resistente, do contrário se esse “treino” não ocorre quando precisarmos usá-lo ele estará fraco para aquela tarefa, então veja, se não estudarmos coisas novas, interessantes e não engajarmos em estado de novos aprendizados ficando somente naquela vida passiva deixando só as informações entrarem e não nos dedicarmos em nada estamos assim de certa forma deixando nosso cérebro “destreinado” oque significa que ele ficará “enfraquecido” leituras novas, workshop, cursos online são formas de fortalecer, ou seja, entrarmos com o nosso cérebro no processo fitness para que ele fique mais forte. Assim um cérebro que estará em constante aprendizado é capaz de ter respostas mais criativas para situações difíceis do dia a dia, eis um bom motivo para exercitá-lo sempre.

Outro ponto a ser destacado é a flexibilidade de ensino; quando estudamos várias coisas novas, diferentes, isso gera conexões no cérebro, ou seja, algo que já sabíamos e quando estudamos uma coisa nova “shazam”, fazemos uma conexão sináptica com isso, criando uma via de informação, porque já estudamos algo naquele segmento e conectamos todas as informações e entendemos todo contexto, toda teoria, uma flexibilidade de ensino para aprendermos coisas novas fica mais fácil quando já estudamos algumas coisas separadas, e ao contrário, quando não estudamos nada, passamos nossos dias “avoados” fica mais difícil de aprender determinados assuntos, parece que não entra em nossa cabeça e ficamos reclamando que não conseguimos aplicar aquela nova informação, é óbvio, pois não foi estudado e nem pesquisado nada associado aquele assunto, como teremos flexibilidade para conectar aquela informação e uma flexibilidade de aprendizado? Dificilmente!

Então estudar outros assuntos é uma forma de facilitar que o nosso cérebro aprenda coisas novas, mais uma vez vemos como é importante para nosso cérebro estar sempre recebendo novos conteúdos.

Para finalizar, estar em constante estudo aprendendo coisas novas é uma forma de “prevenção” do mal de Alzheimer que é a causa mais comum de demência – um grupo de distúrbios cerebrais que causam a perda de habilidades intelectuais e sociais. Na doença de Alzheimer, as células cerebrais degeneram e morrem, causando um declínio constante na memória e na função mental, em muitos casos a pessoa não se lembra de nem o próprio nome, as pesquisas atuais de profissionais na área da saúde mental, aponta que exercitar o cérebro regularmente com conteúdos, aprendizados novos, tarefas novas, é uma forma de deixar o cérebro mais saudável e menos propenso a desenvolver o mal de Alzheimer, exceto alguns casos que são genéticos.  Para um número extremamente limitado de famílias, a doença de Alzheimer é uma disfunção genética. Os membros dessas famílias herdam de um dos pais a parte do DNA (a configuração genética) que provoca a doença. Em média, metade das crianças de um pai afectado vai desenvolver a doença.

Obrigado por lerem até aqui, nos encontramos no proximo post!

Abraços – Equipe Metaforando

Não saber DISSO aumenta sua ansiedade…

Você conhece seus medos? Suas fobias? Sabe quais coisas te deixam mais ansioso? Estude sua mente, e seja menos ansioso!

Você saberia dizer agora, neste momento, quais são as 3 coisas que te deixam mais ansioso? Parece uma pergunta comum, mas é extremamente importante sabermos disso. No assunto de hoje vamos falar um pouco sobre ANSIEDADE na visão do especialista em Linguagem Corporal Vitor Santos.

Muitas vezes vivemos nossa rotina sem detectar estímulos potencialmente estressantes e alguns livros trazem a ideia de que geralmente os estímulos são os mesmos quase sempre, ou seja, você passa uma vida inteira sentindo raiva, sentindo medo ou ficando ansioso por conta dos estímulos bem-parecidos de quando você era mais novo, a diferença é que quanto mais tempo você fica sem investigar esse processo, sem, por exemplo, fazer um tratamento através de terapias ou sem se questionar, criticar os pontos, maiores serão as chances de você acabar espalhando essa bagagem emocional para outras áreas de sua vida, imagine assim, uma pessoa quando criança passou por uma situação em público que a deixou extremamente constrangida, envergonhada e nervosa e aquilo ficou marcado em seu emocional de uma maneira tão forte que ela hoje tem sentimentos parecidos em cenários e situações semelhantes aquela de outrora.

Segundo pesquisadores se você passar uma vida inteira sem investigar esse tipo de fobias, esses estímulos sem tentar entender quais são as coisas que te deixa ansioso, a tendência é que você acabe aprendendo novas formas de sentir vergonha, constrangimento e ansiedade, imagine assim; você lá na infância teve uma apresentação na escola, uma situação em público que te deixou envergonhado, em teoria você deveria se sentir envergonhado em contextos em público onde varias pessoas estão focadas em você, no colégio ou em uma apresentação em público, a tendência é que ao passar dos anos você se sinta envergonhado com estímulos similares, por exemplo, falar em público, mas na internet falar com outras pessoas em uma chamada de vídeo, não necessariamente num contexto onde está acontecendo uma apresentação, mas o fato de falar em público, com desconhecidos, já te deixará nervoso, outra situação seria você fazendo uma compra em uma loja e ter que conversar com o vendedor, isso pode te deixar ansioso, desconfortável.

Perceberam como fica complicado, quando não investigamos um estímulo? Ele vai espalhando aquela sensação de ansiedade, de medo para várias outras coisas que você nem imaginava que sentiria isso naquela situação. Uma das coisas importante é tentar entender momentos, ou seja, tópicos que te deixam mais ansioso em seu dia a dia e assim com essas informações definidas e anotadas ficará mais fácil você lidar com isso, por exemplo, anotou que fica mais ansioso ou com medo em contextos onde tenha que conversar com desconhecidos, então você vai pesquisar contextos nesse formato em livros ou artigos que mostram como conversar com desconhecidos, que fale sobre timidez em fim aquilo que desestabiliza o seu emocional, se puder procure um profissional e faça uma terapia.

Você entendendo isso, já diminui as chances de você ter uma crise de ansiedade e quando for passar por situações que você já entendeu e já pesquisou já tem certo conhecimento de causa, e entende agora como ela funciona, da próxima vez você pode evitar que outra situação acabe aprendendo essa mesma sintomatologia. Mas é importante fazer a anotação o B à Bá da situação listando os sintomas e as causas, tipo: 1-Conversar com desconhecido: deixa-me desconfortável e ansioso – pequisar e assim por diante. Uma boa dica seria treinar isso, essa situação simulando uma conversa com um desconhecido, ou chama um colega que não seja tão próximo para um café e uma conversa, vá escalando uns exercícios assim um pouco mais difíceis a cada vez, para que você evite que isso aconteça em outra situação e para que você consiga lidar especificamente com essa área, e se por um acaso em algum momento você estiver e, uma tarefa como, por exemplo, conversar online com alguém que tenta lhe vender algo ou em algum contexto que você quer obter uma informação, você vai lembrar lá daquele gatilho inicial e pensar, porque estou ficando nervoso aqui? Rapidamente você já vai saber que tem aquele gatilho emocional que quando conversa com desconhecido acaba ficando nervoso.

O mero fato de você se conhecer e saber esses pontos já te ajuda a ficar menos ansioso e lidar melhor com a situação na hora em que esse gatilho estiver sendo ativado. Então vale a pena você nomear as coisas que te despertam tais gatilhos e pesquisar sobre elas em livros, artigos, vídeos na internet e assim terá ferramentas especificas para cada situação, isso vai te ajudar bastante nesse processo de libertar-se do medo que aconteça novamente.

Bom pessoal, vamos finalizar aqui com essas pequenas dicas, espero que ajude de alguma forma você ou alguém que você conheça que passa por situações assim com crises de ansiedade.

Abraços sem proxêmica e até o próximo post.

Equipe – Metaforando.

*Atenção, esse post não tira a necessidade de você procurar um profissional na área da saúde mental, psicólogos, terapeutas sobre como lidar com ansiedade.

3 HABILIDADES QUE UM DETETIVE DEVE TER!

Vamos falar hoje de 3 habilidades que todo investigador e detetive deveria ter. Na opinião do perito e investigador Vitor Santos essas 3 habilidades são essenciais para o trabalho de investigação privada e no geral, porque segundo ele não existe método específico para investigar alguém, “por exemplo, num inquérito policial você tem uns pontos burocráticos que devem ser cobertos, mas não chega a ser um método de investigação”.

Vitor Santos – Especialista em Linguagem Corporal, investigador profissional

As 3 HABILIDADES DE UM INVESTIGADOR, CASO SEJA OU DESEJA SER UM:

A primeira habilidade é a CAPACIDADE DE PENSAR COM A LÓGICA, sendo mais específico essa lógica, seria a lógica fria que é comentada por Sherlock Holmes em seus livros, romances e contos, mas oque seria essa lógica fria? Basicamente seria o pensamento dedutivo com base extremamente racional, raciocínio logico que não se deixa queimar pelas brasas das emoções. Quando colocamos a emoção num julgamento, numa análise, numa avaliação frequentemente podemos errar, ficamos fadados ao erro, porque a emoção ela é ilógica ela não é racional, portanto ela acaba atrapalhando o processo de dedução.

Por exemplo, se você estiver investigando uma suspeita de adultério, provavelmente vai tentar entender a rotina da pessoa que você está investigando, então vai segui-la, fazendo campana móvel, uma perseguição, se você parar e olhar a pessoa no momento em que ela está se aproximando de alguém, e você vai tentar entender se é um conhecido, o amante ou é apenas um amigo de trabalho e não tem nada a ver com um caso extraconjugal, para essas situações você precisa ter um raciocínio dedutivo, precisa “Caçar” informações ali e ir juntando, bom a pessoa tem essa rotina, faz sentido lógico ela sair esse horário da casa dela para ir à academia? Enfim é preciso um raciocínio lógico em dia, não pode ser fruto da sua emoção, tipo: nossaaaa essa pessoa esta saindo de casa essa hora da noite para ir à academia? então ela está traindo o marido! Você não pode deduzir assim, primeiro temos que usar a lógica, esse é o primeiro ponto ou a primeira habilidade para se desenvolver, então se você pensa sempre utilizando argumentos de vieses ou fica emocionalmente agitado com qualquer situação que você está avaliando, pense em seu conteúdo e se você pretende ser ou já é um investigador seu pensamento tem que ser racional e frio.

A segunda habilidade extremamente necessária é curiosidade e o INTERESSE PELA EXPANSÃO DO CONHECIMENTO, vejo muitas pessoas não só na área da investigação, pericia e na área da Linguagem Corporal que querem se profissionalizar, mas não gostam de ler, não desenvolvem o hábito de leitura e ficam dando desculpas tipo; “ Mas eu não gosto de leitura, vou ter que ler muitos livros e artigos?” SIM! Vai ter que ler e muito porque você tem que saber OQUE VOCÊ ESTÁ FALANDO, você tem que ter curiosidade e querer saber mais e mais sobre o assunto que você trabalha ou quer trabalhar, agora se você não quer se inteirar mais sobre e não gosta da ideia de ter que ler livros e artigos, e nem de fazer cursos na sua área de atuação, procure outro nicho!

Falando de investigação podemos acabar enviesando nosso cliente, pensemos assim: um cliente está tentando tomar a decisão se vai ou não se separar da esposa e aí pede para você fazer um acompanhamento nessa suspeita de adultério, ele precisa dessa informação para decidir a vida dele, imagine que você neste caso não colheu informação direta, não tem uma evidência direta da pessoa cometendo adultério, você vai ter que usar métodos indiretos, usar suposições, estudar o caso, colher evidências e provas que te capacitem a transmitir essa informação com precisão, se você não é um profissional curioso, você não vai estudar sobre novas formas de obter informação, coleta, inteligência social, você não vai fazer isso e vai acabar ficando só no “arroz com feijão” e vai passar uma conclusão meia boca para o cliente. Veja então, como é serio a capacidade que um detetive tem de influenciar positiva ou negativamente a vida de um cliente falando no conceito de investigador. Então ínsito em bater nessa tecla de que um profissional tem sim, que ter curiosidade, tem que se informar em sua área sim, ou procure outra coisa para fazer!

Vitor Santos – Especialista em Linguagem Corporal, investigador profissional

A terceira habilidade é imprescindível para quem é ou quer ser um investigador, essa é óbvia; HABILIDADE EM LINGUAGEM CORPORAL ela é extremamente importante desde o primeiro momento de uma investigação, pois você vai entrevistar seu cliente (obviamente sem que ele saiba) e observar sua linguagem corporal já na primeira vez em que ele entrar em seu escritório, ou onde você for para falar com ele, na primeira conversa você já vai usar essa habilidade, com ela você vai tentar entender se o seu cliente está com boas intensões, ou quer te contratar só para queimar o filme da esposa, ou de alguém que ele não goste, enfim você vai começar a entender qual é a real de seu cliente e se ele também não está mentindo ao te fornecer algumas informações sobre o caso a ser investigado, vai que ele é um “surtado” um “doido” em achar que está sendo traído e não tem nada acontecendo, então é imprescindível desde do primeiro contato ter esse conhecimento em Linguagem Corporal e no decorrer da investigação essa habilidade será de extrema importância para que você saiba como utilizar a sua postura para passar confiança se, por exemplo se você for entrar num local, um bar para fazer um procedimento de campana para investigar algo, (você não pode dar bandeira demonstrando que é o Sherlock holmes) pelo contrário, você terá que saber se colocar e ter uma postura de forma que você se mascare com o ambiente, essa técnica chama-se CAMALEÃO SOCIAL, então ter habilidades em Linguagem Corporal vai fazer toda diferença nessa área investigativa.

Vitor Santos – Especialista em Linguagem Corporal, investigador profissional

Obrigado pessoal, vamos finalizando aqui e até o próximo post.

 Abraços – Equipe Metaforando

SUA COMUNICAÇÃO É POLUÍDA? PARA DE FAZER ISSO…

Você está se comunicando ou poluindo o ouvido dos outros?

Hoje vamos falar sobre comunicação nas palavras de Vitor Santos que por sinal, trabalha com comunicação, fez cinema é roteirista e falou em seu canal sobre uma nuance da comunicação que é quando você comunica algo para alguém, ou seja, você transmite uma ideia, ainda mais hoje em dia em que a todo o momento estamos compartilhando informações nas redes sociais, como noticias, movimentos associados a política, ao atual governo dentre outras informações. Vamos então à colocação do especialista em Linguagem Corporal Vitor Santos.

Pessoal, será que quando comunicamos algo estamos transmitindo fatos ou poluindo? Quando nos comunicamos passamos informação ou poluímos uma informação que existe? Pode ate ficar difícil de entender, mas vou dar um exemplo aqui de um fato que aconteceu numa comunicação com minha equipe do Metaforando quando estávamos indo para uma reunião e mandei uma mensagem no nosso grupo respondendo uma pergunta com o nome de uma cidade específica a mensagem que eu havia recebido era sobre uma inscrição que uma pessoa havia conseguido fazer e estava contando para mim, antes de entrar para a reunião para qual estava me dirigindo, nessa hora, uma pessoa da minha equipe me perguntou algo como: “-Vitor quando vai ser essa viagem para o Rio de Janeiro”? Eu prestes a entrar em uma reunião focada em outra pauta, já estava “ansioso” o que é normal, ai meu foco voltou todo para a pergunta e comecei a pensar em reponde-la sobre a ida para a cidade, tal e minha mente ficou tomada com o assunto ali e resolvi perguntar para pessoa da minha equipe: — Como assim? Viagem para o rio de Janeiro? (Porque além de estar ansioso para a reunião fiquei preocupado com a pergunta, pois não sabia de onde ela havia tirado aquela informação) e ela disse: “-Não porque, você respondeu naquela mensagem Niterói né?” Oi? Entrei de novo para ver a mensagem e… poxa vida, aí entendi oque ela estava querendo dizer e não era nada disso, veja, uma pessoa do grupo falou que iria finalmente dar entrada na carteira de habilitação dela e eu conhecia a cidade dessa pessoa e tem uma autoescola lá com o nome de Niterói-car ,ou seja, o nome de uma cidade + car, inclusive eu conheço a cidade e sabia ter essa auto escola lá, então respondi: -Pô que legal, vai ser em Niterói mesmo? NiteroiCar, só que a pessoa do grupo viu essa mensagem e passou para todos os membros da equipe a informação errada, tipo; “gente vamos acelerar o processo que o Vitor vai viajar para o Rio de Janeiro ele falou que vai para Niterói!” … entenderam oque é uma informação poluída?

Comunicação poluída é quando você pega um fato e compartilha uma interpretação, muitas vezes não sabemos a diferença, pois o fato ele é um fato! (que baita definição rs) vamos lá, um fato pode ser avaliado de forma fria, racional e não tem comprometimento com o lado emocional e o fato geralmente é simples e se resume a algo bem simples, por exemplo nessa situação oque poderia ser pensado pela pessoa que passou a mensagem errada;“ O Vitor falou a palavra Niteroi, será que ele vai para lá? Será que conhece alguém de Niterói? Oque será que tem lá? Mas será que é Niterói mesmo? Será isso ou será aquilo? Ela poderia criar essa hipótese, contanto que ela se lembrasse de falar o fato que era;“ O Vitor falou Niterói no grupo, só!

A interpretação que na análise de mensagem verbalizada, nos chamamos de poluição, o que é essa interpretação? Ela é, na verdade uma versão poluída de um dado, quando ela passa por um filtro racional e singular da pessoa onde ela vai fazer uma avaliação do que ela acha e do que faz sentido para ela e aquilo é uma interpretação que no nosso caso chamamos de poluição. Quando a gente comunica dados, falando de comunicação estratégica e de ser uma pessoa mais racional, você tem que evitar e fugir da poluição, um outro exemplo de poluição são as Fake News, onde pessoas mal intencionadas distorcem os fatos, mas quando a pessoa faz “sem querer” ela só está poluindo sem más intenções, sem querer.

Então quando não foge da poluição na forma de comunicação você acaba monopolizando recursos atoa, envolvendo pessoas, gastando tempo e tempo é dinheiro. Então imagina que um membro de minha equipe colocou em alerta toda equipe, para equipe começar a trabalhar mais rápido, correr porque essa pessoa “entendeu” interpretou que eu iria para Niterói, minha equipe ficou alarmada, ficou mais estressada, mais do que no comum, trabalhou de forma que não precisava, resumindo a ópera, gastou recursos desnecessários, pois a equipe ficou tentando entender o que poderia ser aquela informação errada, e perdeu um tempo e todos perderam com isso. O foco deste post é: quando você está comunicando algo, você já parou pra pensar, quantas vezes você passa uma informação poluída para frente? Oque quando você mesmo polui uma informação? Quando, por exemplo, alguém te dá uma informação e você não questiona tipo; “Aconteceu isso mesmo”? Foi dessa forma mesmo? Ou você esta julgando assim? É muito importante tentar separar poluição do dado. Importantíssimo!

Se você quer ter mais controle do que está acontecendo, não quer se assustar atoa, não quer perder recursos, vale a pena sempre questionar, antes de comunicar, “espera aí, essa informação que estou recebendo é um dado? É um fato? Ou é uma informação manipulada, uma informação poluída?” Portanto, questionem sempre quando receberem uma informação e tentem sempre perguntar para a fonte se essa informação é factível, e se é factível quais provas você tem ou a pessoa que te passou a informação, pode apresentar para que você a compreenda como factível para que assim você evite passar uma poluição como informação?

Espero que vocês tenham gostado dessa informação que vocês pensem nisto: você faz comunicação ou poluição com suas palavras? Você consegue transmitir informações ou não? Até próximo post.

Vídeo do canal – Vitor Santos – link: https://youtu.be/cMWUGYEI_Js

Abraços – Equipe Metaforando

PARA DETECTAR MENTIRAS CORRETAMENTE, APLIQUE A REGRA 3-2-7.

Existe uma regra na teoria cientifica da análise do comportamento não verbal que se você não aplicar, você vai errar e não vai detectar mentira nenhuma!

Vitor Santos – Especialista em Linguagem Corporal

Hoje vamos falar sobre essa regra usando uma análise que o especialista Vitor Santos fez em uma participação no Câmera Record sobre o caso Neymar e Najila o qual na ocasião Neymar fora acusado de estupro, dentre várias coisas interessantes do programa uma delas foi que o perito Vitor Santos pode falar de forma cientifica do que é de fato uma análise não verbal, demonstrando trechos específicos no vídeo analisado onde ocorrem pontos de dissimulação e pode falar até mesmo da % do potencial de dissimulação por conta de serem vários pontos incongruentes e sobre o tempo que leva para o cérebro associar uma resposta a um estímulo e dar sinais não verbais de incongruências, analisou, falou dos pontos e da velocidade nas micro expressões faciais conseguindo passar assim a teoria de forma cientifica, isso foi muito importante para o especialista, pois sempre fez questão de mostrar em seu canal Metaforando de que Linguagem Corporal não é mágica e muito menos dom, as pesquisas mostram que é preciso anos de estudo das teorias comprovadas cientificamente.

Vitor Santos- Aplicando protocolo SCANS

Como é descrito no próprio Teling Lies de Paul Ekman, se você passar por um treinamento de 4 horas você pode melhorar até 30% a sua habilidade na detecção das expressões faciais. Durante a matéria foi falado sobre o protocolo SCAnS (Six Channel Analysis) que é o único com validação científica pela EIA- Emotional Intelligence Academypara é utilizado pelo perito Vitor Santos. Existe uma regra específica para que seja aplicado o protocolo SCANS para que a analise, seja mais assertiva, segundo as pesquisas que é a regra 3-2-7 com ela você consegue ter um potencial de detecção de mentiras mais elevado, acima de 80% essas pesquisas estão referenciadas no artigo AN ARGUMENT FOR MULTCHANEL ANALYSIS , basicamente neste artigo é explicado como funciona o SCANS e fala da regra 3-2-7 que significa 3 PINs em pelo menos 2 canais até 7 segundo após um estímulo, ou seja, num interrogatório, em 7 segundos após esse estímulo, como uma pergunta capciosa ou uma evidência mostrada o cérebro da pessoa vai entrar em um estado de stress bem elevado e naquele momento os sinais que lea disparar que sejam discordantes eles vão sim, ser sinais de dissimulação, mas você deve estar se perguntando, mas oque é um PIN? Eu respondo, PIN é um PONTO INCONGRUENTE é um ponto que não faz sentido na narrativa, um ponto que discorda daquilo que está sendo verbalizado, ou seja, a regra diz que precisamos ter pelo menos 3 PINs na análise que estivermos fazendo, matando já aquela ideia errada que é dita por aí de que quando a pessoa faz negação com a cabeça ela está mentindo, a negação seria 1 PIN, precisamos de 3 PINs para validarmos nossa análise.

Na entrevista é mostrado um trecho do vídeo da Najila onde ela expressa 11 sinais de stress em 7 segundos e o repórter pergunta se aquilo é normal e o perito explica que é um número bem elevado que é um potencial acima de 80% de dissimulação naquele momento de fala da modelo.

Protocolo Scans

Foi mostrado também mais alguns canais de Linguagem Corporal comentado pelo perito como o ESTILO DE INTERAÇÃO, VOCAL, CONTEÚDO DA MENSAGEM VERBALIZADA, FACE, LINGUAGEM CORPORAL E PSICOFISOLOGIA ele explica que nesses 6 canais conseguiu observar vários sinais como na face uma expressão de MEDO juntamente com afastamento corporal, um shurague (dar de ombros) e uma respiração “aumentada” observada através dos canais F,B e P , foi observado uma movimentação na região lateral do canto dos lábios formando uma micro expressão facial de medo. Então conclui se que foram mais de 3 PINs (Face, Ombro, Afastamento e a respiração) são4 PINs e também mais de 2 canais porque temos F,B e P em 7 segundos que segundo pesquisas mostram, um mentiroso, quando está dissimulando e é apresentado a um estímulo novo, um estímulo que vai liberar respostas de stress nele e ansiedade em 7 segundos, ele vai responder de maneira GENUÍNA, é nesse momento que o corpo dele vai dar sinais de incongruência, após esse período o mentiroso vai começar a levar o interrogatório para uma área que ele fique tranquilo, falando algo que ele entenda fazendo alguma analogia com outra coisa para começar a impedir sinais e começa a se auto-controlar.

Especialista mostra uma micro expressão facial de medo.

Então em resumo temos 7 segundos para encaixar nossa análise num ponto de dissimulação, se tiver, por exemplo, 3 PINS e mais de 2 Canais só que esses PINs aparecem em 11,12,13,14 …20 segundos de análise do trecho ESPECIFICO que você está observando então essa sua análise já está “caindo por terra” naquele momento, aquele período especifico ele começa a perder a validade, portanto essa regra nos impede de cometer erros, como julgar apenas 1 sinal, ou deduções sem embasamento cientifico tipo a pessoa olhou pro lado mentiu, pois, se existe uma tecla em que o perito facial e especialista em Linguagem corporal Vitor Santos sempre bate é que não existe um ÚNICO SINAL DA MENTIRA que é feito só quando mentimos, a regra 3-2-7 também evita que a gente confunda sinais que são naturais da pessoa como tique ou as vezes a pessoa tem um vício faz sempre, como balançar a perna enquanto fala, para que não finalizemos isso como sinais de incongruências é por isso que se aplica a regra 3-2-7 , sete segundos após um estímulo potencialmente estressante a pessoa pode sim, dar mais de 3 sinais de dissimulação em pelo menos 2 canais certo?

Obrigado pessoal, vamos finalizando por aqui, então observem com atenção, analisem com cuidado e usem sempre a sabedoria e a técnica para detectar os mentirosos de plantão principalmente aqueles que se aventuram em detectar mentiras sem embasamento cientifico.

Um abraço e até o próximo post!

Link do vídeo referencia canal Metaforando: https://youtu.be/rdpLLE1IaIc

Quer saber mais sobre esse universo das micro expressões faciais e Linguagem Corporal de um perito? clica no link desse vídeo e descubra: https://youtu.be/ubK49RCLh8M

 Transcrição – Equipe Metaforando.

COMO TER UMA POSTURA CONFIANTE?

Como ter uma Linguagem corporal que te dê uma postura confiante para que as pessoas respeitem você? Por Vitor Santos – Metaforando, especialista em Linguagem Corporal.

Hoje vamos falar sobre, postura, Linguagem Corporal, como que eu coloco minha postura, como que eu me aprumo, como que eu coloco uma posição no meu corpo para passar mais confiança, mais respeito, superioridade e assim me sentir mais confiante?

Vamos entender um pouco sobre a postura, algumas ciências associadas à cinesiologia, ou seja, a ciência que estuda a movimentação corporal – Cinesia. Algumas dessas ciências estudam a forma que a nossa postura comunica alguma informação, não é de hoje, se você acessar os trabalhos de Pierre Weill e Roland Tompaknow que falam sobre a postura confiante e a postura de submissão, segundo esses pesquisadores você poderia avaliar pela posição do queixo e do plexo solar de alguém se esta pessoa esta mais confiante ou menos confiante, mais submissa, mais desconfortável, mas antes de entrarmos na famosa postura POWER POSE gostaria de falar um pouco sobre a linguagem corporal de submissão, que é a Linguagem Corporal de vítima, como assim? Veja bem não estamos dizendo que a vítima tenha uma linguagem corporal definida e que a culpa é dela enfim, segundo alguns pesquisadores na área da segurança como Joe Navarro, Aldert Vrij, Tim Larkin e Amy Cuddoy entendem que determinados comportamentos não verbais podem dar a ideia de que você é uma pessoa fraca e submissa e isso aos olhos de um PREDADOR SOCIAL deve ser muito atraente.

Dentre várias pesquisas foi feito um estudo com criminosos hediondos que foram chamados para eleger quem seriam as vítimas em potenciais deles, ou seja, pessoas que eles escolheriam caso fossem praticar algum tipo de crime hediondo como estupro, homicídio e assim por diante, então esses criminosos olharam varias fotos e contextos aparentemente comuns do dia a dia e pontuaram quem escolheriam e, porque, dizendo que essas pessoas aparentavam ser mais fracas não apresentando qualquer sinal de resistência, quase que unanimemente esses criminosos escolheram pessoas que tinham uma prototipagem, uma postura bem parecida, destacando entre elas a queda da cabeça, pessoas que estavam andando de cabeça baixa olhando para o chão, indicando insegurança, segundo os criminosos, a postura era o peito para dentro, introvertida, braços cruzados, fechados ou a pessoa ocupando o menos espaço possível no ambiente era outro sinal e falta de tônus muscular, quando a pessoa não apresentava resistência muscular a pessoa estava meio “mole” meio “largadona” era uma vítima em potencial, bom isso não é novidade para nós se observarmos os estudos do reino animal, como, por exemplo, “A Expressão das Emoções no homem e nos animais” de Charles Darwin que basicamente diz que uma tendência no reino animal é quando um animal que aparenta ser maior, for dominante ele tenta ocupar o maior espaço possível, então ele abre os braços gesticula, ergue as patas, e tenta ficar bem grande que é para tentar ganhar o território e mostrar que ele esta confiante, que é superior.

Trazendo esse exemplo para nós seres humanos, tanto isso como o oposto ocorre também, como vimos nessa pesquisa, se andarmos com uma postura “para baixo”, cabeça baixa, braços cruzados, ombros encolhidos, vão nos identificar como alguém potencialmente passível de ser, por exemplo, assaltado sem falar do hábito que a maioria tem de abaixar à cabeça com a postura para dentro os braços junto ao corpo, mexendo no celular. Olha o perigo aí! Ainda nessa mesma matéria que cita uma pesquisa feita pela Amy Cuddoy e Dr. David Matsumoto falam sobre o conceito de POWER POSE traduzindo seria POSTURA DO PODER, uma postura poderosa a pesquisadora Amy Cuddoy em suas palestras costuma usar a imagem da Mulher Maravilha, do Super-Homem para emular tais sensações dizendo que a técnica é; estufar o peito, abrir bem a sua dorsal, colocar as mãos na cintura e ficar numa POWER POSE, numa postura de poder que seria uma postura de superioridade e, porque isso acontece?

Segundo essa pesquisadora, além de proporcionar a sensação de confiança adotar a postura de POWER POSE por alguns minutos antes de uma situação difícil como uma dar uma palestra ou uma entrevista de emprego qualquer coisa do gênero pode diminuir a fabricação de hormônio como o CORTISOL na sua corrente sanguínea para quem não sabe o cortisol é um hormônio associado a sensações de stress, então imagina que se você fizer a postura power pose de 5 minutos antes de uma entrevista de algo que você considera importante, você pode diminuir o nível de stress e consequentemente ficar um pouco mais calmo.

Amy Cuddoy – Pesquisadora

O engraçado é como os pesquisadores observaram isso, eles viram ali contextos de disputas territoriais entre mamíferos, dentre eles; primatas, cangurus e observaram que quando ia começar uma disputa, um macho com outro macho tentando conquistar um território mostrando quem era mais forte, confiante e superior, aquele que ficava algum tempo antes do embate com a postura flexionada, conhecida como Power Pose, aquele animal que tentava se mostrar maior já antes do embate, era geralmente aquele que decidia o embate e se tornava vitorioso, foram feitos então coletas de sangue de tais animais para ver se existia alguma diferença ao adotar esse tipo de postura, e foi observado então que esses animais sim uma queda no nível de cortisol na corrente sanguínea, logo antes de tais embates.

Então imagina que um embate já é uma disputa de território já é um momento onde existe predominantemente o nervoso e o stress, agora se você tem a chance de adotar uma postura não verbal que vai diminuir seu stress consequentemente a chance de você acabar vitorioso como no caso desses animais é muito grande.

Vitor Santos – Especialista em Linguagem Corporal – Metaforando

Finalizando aqui com essas dicas; tente sempre evitar a postura de inferioridade, aquela postura mais mirrada, cabeça para baixo, peito para dentro. Evite esse tipo de postura e procure adotar a POWER POSE quando estiver em uma situação em um momento difícil, estufando o peito para fora, cabeça elevada, queixo elevado, as mãos na região da altura do quadril, inclusive durante uma entrevista se você se sentir a vontade pode montar sua Power Pose no meio da entrevista para conseguir ficar mais tranquilo consequentemente tendo um bom desempenho na sua comunicação não verbal.

Obrigado e até o próximo post.

Um abraço – Transcrição – Equipe Metaforando.

COMO DIFERENCIAR O CHORO FALSO DO VERDADEIRO?

Você sabe diferenciar o comportamento não verbal de uma pessoa que está chorando de verdade de uma pessoa que está fingindo que está chorando? Seria possível alguém forjar um choro falso? O especialista em Linguagem Corporal Vitor Santos fez a análise de um vídeo do choro de Abner Pinheiro ao descobrir que não era pai biológico do filho. Ele chorou de uma forma bem exagerada e a internet o acusou de estar fazendo “Choro Falso”, será mesmo? O que a linguagem corporal dele pode nos mostrar sobre isso?

Hoje vamos falar de pontos que mostram comportamentos de falsas reações emocionais, observando o caso de Abner Pinheiro que acabou divulgando um vídeo em seu Instagram ao vivo em tempo real a descoberta de que Apolo não era seu filho biológico, em meio a gritaria e choradeira ele acelera ao carro, e faz um drama Mexicano, amassa o papel do resultado de exame soltando uns “palavrões”.

Utilizando como base para analisar o vídeo de Abner o especialista utilizou como base os livros Emotions Revealed – de Paul ekman , Teling Lies – Paul Ekman e também o artigo científico: Crocodile Tears: Facoal, Verbal and Body Language Behaviours Associated With Genuine and Fabricated Remorse- basicamente um artigo que mostra os critérios que ocorrem, segundo a pesquisa de pessoas forjando um remorso, ou um choro se mostrando abaladas e chateadas, fazendo tudo isso de caso pensado, vamos analisar se o Abner traz algum comportamento que enquadra em processos emocionais genuínos de acordo com o artigo.

Primeira coisa que notei foi que Abner tem as alterações vocais que realmente podem ocorrer quando experienciamos tristeza genuína, segundo ponto de acordo com o estudo Crocodile Tears , quando a pessoa está com remorso verdadeiro quando for falar algo, ela vai apresentar um fluxo sem pausas longas, pode até pausar a fala para pegar mais ar e continuar verbalizando seu drama, no vídeo de Abner ele teve um comportamento bem similar a esse num fluxo sem pausas e outro ponto bem interessante citado no livro Emotions Revealed e o Corpo Fala. Basicamente num choro falso a tendência é a pessoa esconder o rosto, quando está fingindo abaixar a cabeça colocar as mãos cobrindo o rosto, mas o Abner não faz isso pelo contrário ele deixa a câmera apontada para sua face o tempo todo, enquanto relata a triste descoberta, mas calma lá, ainda não matamos a charada não, ainda não disse que ele estava chorando Genuinamente.

Segundo esse artigo, um dos critérios de alguém que pretende dissimular algo ela tem a reação de uma turbulenta de emoções, ou seja, a pessoa tenta forjar, mas ela não forja em uma intensidade aceitável, ela tenta forjar no extremo oposto que é chorar escancaradamente, BUAAAAAA coisa que o Abner Pinheiro faz! Outro ponto curioso é que tem uma tendência muito grande ali da pessoa entre ela transitar entre uma emoção negativa de tristeza e raiva por uma expressão neutra primeiro e depois ela ir para uma outra expressão, por exemplo, a pessoa está triste ai vai lembrando do“ filho” fica neutra e depois vai sorrir lembrando dele, agora se ela está; triste e com raiva! Triste, com raiva! Triste, raiva! Uma tendência maior é que ela esteja manipulando as suas próprias emoções, controlando, por assim dizer.

Temos mais um critério curioso também que é o fato de Abner Pinheiro ter uma resposta emocional muito longa, ele fica muito tempo com a expressão parada, na própria expressão de tristeza que ele faz, porem uma expressão facial tem um ápice pode entrar numa condição de macro expressão, mas geralmente conseguimos observar intensidade, ou seja, a expressão aperta ou desaparece, aperta desaparece, então é muito difícil onde você tem um caso onde a expressão facial de raiva ou tristeza fica e perdura na face, veja bem, não confundam isso; riso de nervoso e nem gargalhadas elas não têm nada a ver com uma micro expressão facial, isso é um processo macro facial de origem psicofisiológica que falaremos em outro post.

O último ponto neste caso muito curioso é o fato do Abner escolher se filmar, a gravação começa ele já está se filmando para contar a tragédia de não ser pai biológico de Apolo, depois tem um corte e já vai para uma outra gravação, um outro Stories isso significa que ele está desempenhando funções racionais, ele está dirigindo ao mesmo tempo que precisa selecionar o botão de gravar, parar a gravação fazer um corte, e voltar a gravar novamente, e processos emocionais genuínos raramente tem uma majoritária expressão do racional e sim do emocional e mais provável que se for gravar na hora da raiva e nervoso você derrube o celular se perca no focar a câmera na pausa enfim sem contar que o Abner começa o Stories dele já chorando, já está no meio da emoção, vamos supor tenha sido uma ração verdadeira, genuína, ele pode ter entrado no carro e começado a chorar e aí já pegar o celular para gravar, mas também existe uma estratégia de manipulação emocional chamada Autoindução, basicamente a pessoa fica forçando a pensar naquele sentimento até acabar trazendo aquela emoção e aí se ficar pensando ela aflora, não necessariamente estava sentindo aquela emoção, de forma bem resumida nossa conclusão, apesar do Abner demonstrar sinais emocionais com potencial concordância com situações de remorso genuínos segundo pesquisas, não há como comprovar se esse processo de tristeza dele não foi algo induzido, pois não vemos o momento inicial da emoção, além de Abner apresentar outras potenciais incongruências e erros faciais, além do fato de que algumas situações racionais foram observadas, geralmente situações de remorso emocional genuíno, o racional não é tão expressivo quanto o seu lado emocional.

E o comentário de hoje foi esse assim quando estiver com um chorão a sua frente lembre-se desses pontos. Obrigado e até o próximo post.

Link do vídeo no canal Metaforando : https://youtu.be/emaoiYY7mVY

Boa Pascoa! – Abraços – Transcrição – Equipe Metaforando.

5 SINAIS DA ATRAÇÃO.

Quais são os cinco sinais de linguagem corporal que apontam de que uma pessoa realmente está te querendo?

Hoje vamos falar sobre um tema que muita gente pede no canal Metaforando, os sinais de linguagem corporal que podem ser utilizados na sedução, vamos então para esse tema empolgante que é a linguagem corporal da sedução.

O primeiro alerta aqui é que você não deve levar tudo ao pé da letra, vários pesquisadores como Paul Ekman, Roland Tompakow, Pierre Weil, Aldert Vrij, Cliff Lansley, Pamela Meyer, vários pesquisadores falam que linguagem corporal é algo que precisa ser contextualizado, não pegue um sinal especifico sem levar em conta o contexto, e achar que ver esse ou aquele sinal aponta para isso, ou aquilo, e tirar assim conclusões precipitadas tipo: “a pessoa quer meu corpo nu numa tabua”, não! Não vai nesse tá?

Vamos falar daqueles sinais que ocorrem durante o ato da paquera, do chaveco, mas são sinais que você precisa levar em conta no contexto, você precisa analisar a situação como um todo e não olhar para a pessoa porque ela mexeu no cabelo e já “chegar junto” nela, calma lá!

Os sinais que vou passar aqui são reguladores, vão te dar um guia de que nível que está a aproximação daquela pessoa com você, se você vê vários sinais desses que eu vou falar hoje, com uma frequência muito grande, é muito provável que aquela pessoa de fato quer que você vá até ela, quer uma aproximação, ou seja, ela está atraída por você, mas lembrando, olha o contexto e não avance o sinal, beleza?!

ENTÃO VAMOS AOS SINAIS:

O primeiro deles é o toque ou os TOQUES NAS ZONAS ERÓGENAS do nosso corpo, as zonas erógenas são descritas por vários pesquisadores, principalmente pelos psicanalistas como regiões do nosso corpo que estariam intimamente conectadas com iniciação de respostas sexuais, ou seja, seriam as partes do corpo que se você tocar faz aquela coceguinhas que depois dos 15 não é mais coceguinhas.

É comentado no livro O Corpo Fala de Pierre Weil e Roland Tompakow, que nós possuímos regiões do nosso corpo que estão mais associadas a respostas sexuais, ou seja, se você está tocando naquela pessoa, naquelas regiões, ou se a pessoa está tocando em você nessas regiões, poderia estar associado a uma linguagem de tensão sexual, por assim dizer.

Uma pesquisa recente também chamada, Topography of Human Erogenous Zones, mostra para gente os principais pontos que estariam associados ao toque que libera respostas sexuais. Basicamente como vocês podem ver as regiões mais quentes, são as regiões que estão mais propensas a deixar a outra pessoa, com desejos.

Regiões essas mais evidentes como, por exemplo, o pescoço, as orelhas, no caso das mulheres, a região próxima aos seios, a região interna das coxas, próxima da região da altura do quadril, da cintura.

No caso dos homens temos os braços, o peitoral, da parte das costas, tanto os homens como as mulheres, tem uma região próxima aos Glúteos que é bem associada a respostas sexuais, tem a parte de trás da perna, à panturrilha, a posterior da coxa, e fica aqui um alerta, não chegue tocando no corpo do outro sem permissão, isso é crime, mas como eu falei esses sinais nessas regiões, podem ocorrer ali durante uma tensão sexual, então se a pessoa começar a te tocar com frequência e você está autorizando e está gostando desse toque e você estimula o toque nessas regiões, pode ser que você esteja provocando respostas que direcionem para uma relação sexual, por assim dizer.

O segundo sinal muito claro é a FREQUÊNCIA DO TOQUE independente dele ser ou não praticado na zona erógena, a frequência do toque diz muito, basicamente quando eu gosto de uma pessoa, quando eu quero ter mais contato com algum objeto, alguma situação, alguma pessoa, eu quero gerar mais impressões sensoriais, então uma tendência muito grande quando uma pessoa está gostando de você, quando ela está se sentindo atraída, é querer ficar tocando em você, tem pessoas que gostam de tocar, dar aquela “seguradinha” que é conhecida como toque hipnótico, então independente da pessoa ficar tocando ou não em uma zona erógena, se ela ficar com uma frequência de toques muito elevada, ela pode sim, estar demonstrando que ela quer mais informações táteis sobre você, vale uma ressalva, tem pessoas que já tem um habito muito grande de tocar, sair tocando, por exemplo, quando eu estava na Paraíba, se eu não me engano, e lá, era muito cultural esse negócio do toque, e que não necessariamente qualquer pessoa estava atraída por mim, então preste atenção na linha de base, lembra o que eu falei contexto! Mas via de regra, se no contexto for tudo certo, e a pessoa ficar tocando em você toda hora, quer dizer que ai tem coisa, você pode retribuir o toque ou já tentar direcionar a conversa para algo um pouco mais íntimo se for de seu interesse.

O terceiro sinal é o AUMENTO DOS GESTOS MANIPULADORES OU AUTO-PACIFICADORES, é descrito em artigos como, por exemplo, Movements with Precise Meanings, do Paul Ekman, do Cliff Lansley, é escrito também em Telling Lies que quando uma pessoa fica um pouco mais ansiosa, um pouco mais nervosa, é comum que ela comece a se alto manipular, exibir o alto toque, que pode ser desde massagear as costas das mãos, coçar o dedo, alguma parte do corpo, pescoço, ou até mesmo ficar ajeitando a roupa, ficar se ajeitando, jogar o cabelo, isso pode ocorrer quando a pessoa está um pouco ansiosa, e geralmente essas respostas podem ocorrer quando uma pessoa está mentindo também, no caso da paquera e da sedução, quando alguém fica ansioso, isso pode demonstrar, conforme a escritora Pamela Meyer pode mostrar em Lie Spotting, que essa pessoa está ansiosa por conta da sua presença, ou seja, se uma pessoa se importa com você, se ela se sente atraída por você, ela tem uma tendência a ter uma resposta de ansiedade quando ela te vê, então observa essa pessoa, ela está lá tranquila no canto dela e quando ela olhou para você, ela começa a se alto pacificar, arrumar o cabelo, arrumar a roupa, quer dizer que alguma coisa com você, ela encanou e fica preocupada se a aparência dela está bacana, porque ela se importa com a sua opinião, mais um sinal ai de atração, beleza?!

O quarto sinal é o direcionamento do quadril, no livro O Corpo Fala, uma abordagem é apresentada sobre as vidas instintivas que no caso seria representado pela região abaixo do tórax, a cintura, o quadril, essa seria na teoria composta pelo Pierre Weil e Roland Tompakow, a região mais instintiva, por isso quando se tem uma movimentação corporal nessa região da barriga, por ser associado a algo mais instintivo do homem, e não muito racional, por exemplo, uma pessoa que está com muita fome, uma tendência dela é entrar num lugar e apontar o quadril, a barriga na direção da comida, a pessoa para e fica olhando porque ele está interessado naquilo, e outra tendência que você pode observar, é também em pessoas com interesse, até mesmo interesse sexual, é virar o quadril, direcionar o quadril na direção da pessoa que ela está interessada, isso pode acontecer muito, inclusive tem até uma resposta das pernas que é bem comum, se você estiver sentado conversando com uma pessoa que você tem interesse, não só interesse afetivo, até um interesse maior como, por exemplo, uma tensão sexual, há uma tendência da sua perna, seus joelhos se direcionarem para a direção dessa pessoa, isso é abordado também nos capítulos mais próximos do fim do livro O Corpo Fala, onde traz uma espécie de dicionário um livro de sinais não verbais, e um sinal muito chamativo em atração em linguagem corporal da atração, é justamente o direcionamento do corpo, isso significa que a pessoa está dando atenção para aquilo que ela direciona, e se o quadril estiver direcionado e apontado, ou se a pessoa estiver requebrando o quadril, fizer algum tipo de molejo no quadril, pode ser também que ela esteja querendo chamar sua atenção.

   Eles citam alguns exemplos no livro, como uma mulher que percebe que está sendo vista por uma pessoa que ela gosta, aí ela sai do ambiente dando uma rebolada para chamar atenção daquela pessoa, e lembrando, não é porque uma mulher saiu rebolando que ela quer alguma coisa com você, lembra-se do contexto.

O quinto e último sinal é a sustentação do olhar, Henrik Fexeus fala no seu livro “A Arte de Ler Mentes”, sobre como gerar persuasão e até mesmo simpatia, empatia em outras pessoas, é falado sobre a oculesica, a ciência que estuda a zona de interesse visual, e ele fala sobre a sustentação do olhar, pessoas quando querem paquerar ou quando gostam do que estão vendo, tendem a demonstrar interesse com a frequência do olhar e a sustentação do olhar, quando eu gosto de alguma coisa, meus olhos vão à direção daquela coisa, se eu entrar em uma livraria, numa locadora, e tiver o gênero que eu gosto mais de filme, de livro, a tendência é que meu olhar vá diretamente para esse gênero e eu fique focado naquilo ignorando todo o resto, e ai que está uma dica prática, se você está no dia a dia, na escola, numa festa, em algum local que tem uma pessoa que com frequência, os olhos dela se voltam para você, esse é um grande sinal de que ela está interessada, se ela ficar sustentando o olhar então, quer dizer que o interesse é bem elevado.

Bom pessoal, essas foram nossas 5 dicas da atração, para você que está tentando saber se sua paquera está mesmo a fim. Obrigado e até o próximo post.

Abraços – Transcrição – Equipe Metaforando.

5 COISAS QUE LIE TO ME ENSINOU ERRADO.

Confira a colocação do perito Vitor Santos:

Eu Conheci linguagem corporal assistindo Lie To Me, e hoje sendo um especialista na área, eu vejo que algumas coisas essa série me ensinou de forma errada.

Hoje nós vamos falar um pouco sobre a série Lie To Me, essa série que moldou gerações, principalmente, fez muitas pessoas ficarem fãs de linguagem corporal.

Lie To Me, uma série maravilhosa que provavelmente você já conhece, talvez assim como eu, você tenha conhecido linguagem corporal vendo essa série e também deve ter assistido The Mentalist com Patrick Jane.

Lie To Me foi uma série de televisão norte americano, transmitido pelo canal Fox, de 2009 até meados de 2011, a série chegou a ser passada aqui no Brasil, também, no canal Fox Brasil e depois ela foi reprisada na rede globo com o nome, engana-me se puder.

Nessa série, o personagem principal que é o Dr.Cal Lightman era um especialista em linguagem corporal, mas o diferencial é que esse doutor e pesquisador, um cara que foi para vários países pesquisando a expressão facial de todo mundo, lembra “por acaso”, Paul Ekman, o psicólogo americano que tem sido pioneiro no estudo das emoções e expressões faciais.

E na serie Dr. Call com esse conhecimento todo, ele tinha a sua agência o Ligthtman Group que dentre vários treinamentos, consultorias, também realizava investigações ajudando inclusive o FBI a detectar o comportamento dos mentirosos e prender uma galera só entendendo o comportamento não verbal dessas pessoas.

A série foi um sucesso, desde o seu lançamento que já tinha aquela abertura icônica que você com certeza deve se lembrar de que eram repletos de sinais, números, gestos, marcação já fazendo você se sentir um detetive só vendo a abertura.

Como tudo que é bom, dura pouco, a série Lie To Me foi cancelada, terminando a sua terceira temporada. Alguns boatos rolaram na época, dizendo que o presidente Barak Obama teria solicitado que ela fosse cancelada, descontinuada, porque a série estava ensinando em cada episódio, ainda mais que os episódios tinham exemplos analisando políticos, e ensinando as pessoas a como detectar mentira, isso seria ruim para as eleições que estavam próximas.

Claro que isso é um grande boato, em minha opinião, uma grande mentira. Mas boato é boato.

Lie To Me apresentou para nós o universo da linguagem corporal nos mostrando principalmente o universo das micro expressões faciais, com aquela famosa frase; “A verdade está estampada em nossa cara!”

A série mostrou muitas coisas dessa área, como gestos ilustradores, gestos pacificadores, posição de cruzamento de braços, micro expressões faciais e  eu não sei vocês, mas quando eu assisti a série Lie To Me, eu me senti entrando em um universo inimaginável, porque eu via as coisas na série, ai eu saia da série e começava a analisar as pessoas em casa, no colégio, na escola, na academia, e pra mim, aquilo tudo era muito louco, na verdade Lie To Me era o primeiro EAD de linguagem corporal.

Só que hoje eu separei pra falar a vocês cinco “coisinhas” que a série ensinou de forma um pouco “errada”, vamos assim dizer como errada aquilo que não tem verificação cientifica, ou seja, aquilo que não é passível de ser explicado cientificamente ou que na prática não funciona dessa forma.

Porque sim, acredite se quiser, eu recebo email, direct, mensagens, onde a pessoa questiona certas coisas como: Vitor eu assisti Lie To Me duas vezes, você acha que eu preciso fazer um curso de linguagem corporal?

Então vamos lá, começando pelo primeiro sinal, Lie To Me, ensina a analisar micro expressões facial corretamente?

Como eu falei, a série fala bastante das micro expressões faciais, mostra o que é o que não é, mostra o principio do sorriso, fala nas contrações nos pés de galinha, mas tudo tem um ponto.A série foca muito em expressões faciais que são genéricas ou até mesmo que são ensaiadas por atores, o que não é lá exatamente o que vai acontecer na vida real.

Dr. Cal Lightman na serie Lie To Me

No dia a dia temos muitas dificuldades paralelas para analisar micro expressões faciais, por exemplo, movimentação de cabeça, se o cara virar o rosto, como que você vai analisar o perfil do rosto dele, você tem que ter um treinamento específico para isso.

Sem falar que a série não faz uma diferença clara entre micro e macro expressões, codificação facial enquanto a pessoa está falando, então a série mostra o básico do básico, de micro expressões faciais.

A segunda coisa que a série ensinou errada, pistas oculares, se eu não me engano, tem um ou outro momento da série onde o Dr. Cal Lightman olha para uma pessoa e fala: “-olha está vendo, aqui na verdade ele se lembrou de alguma coisa porque ele olhou para cima e para o lado direito, então ele está lembrando e não está inventando”.

Como é dito e entendido por vários pesquisadores, até hoje, pistas oculares não tem comprovação científica, é uma ideia muito difundida, principalmente por praticantes da PNL, mas via de regras tem vários pesquisadores como o professor PHD, professor emérito da universidade da Pensilvânia ALDERT VRIJ, tem também vários e vários artigos que testaram essa teoria de pistas oculares para detectar mentira, e não conseguiram detectar mentira com isso, basicamente a precisão de você usar as pistas oculares é pouco superior a 50%, é a mesma coisa que você olhar para a pessoa e jogar uma moeda para saber se ela está ou não mentindo. Então isso foi uma das coisas da série que foi ensinado de forma errada.

Terceiro critério, detectar mentira em um único sinal, a série bate bastante nessa tecla e em vários momentos que o Dr.Cal Lightman olha um comportamento e fala: “- está vendo, o cara coçou a cabeça, isso aqui é um sinal de incerteza, então certeza ele fez isso, ele mentiu, e por causa desse sinal, vamos prendê-lo”!

Depois de ter estudado muito, hoje eu sei que não é bem por ai, para que seja feita uma analise você tem que fazer através multe canais, é aplicado um protocolo que se baseia em 6 canais, e esse protocolo tem que ser testado cientificamente para ter eficácia e validade também. Como por exemplo, o protocolo SCANS Six Channel Analysis, que é o protocolo que eu utilizo, conta com 6 canais: face, Linguagem Corporal, Estilo Vocal, Qualidade vocal, Conteúdo verbal, Fisiologia, para aplicar e poder concluir um laudo.

Sem mencionar que a série foca muito no sinal matador o Dr. Cal Lightman está lá “analisando” um suspeito e num dado momento ele para tudo e diz: -“o cara contraiu a boca, parou tudo, pega ele!”.

 Na linguagem corporal, uma das realidades propostas é o conceito dos 3 Cs, que é Contexto, Congruência e Combinações, ou seja, combinações, não é um sinal, são combinações de vários sinais que vai te dar uma capacidade de interpretar o que aquela pessoa está sentindo, mais uma coisa que a série não ensinou de forma muito correta.

Quarto critério para prender uma pessoa com base em uma analise de linguagem corporal. Cara dava até gosto ver lá na série o Dr. Cal Lightman com aquela convicção dele quando falava: – mentiu! Nesse momento a policia vinha e pegava o cara porque descobriu que o cara estava mentindo, isso é lindo, mas isso é só na ficção, na vida real não funciona dessa forma.

Eu já gravei um vídeo em meu canal Metaforando, com o professor da universidade federal de Minas Gerais, professor de direito, Dr. Túlio Vianna, advogado criminalista, formado pela universidade de Bologna, e basicamente falando sobre laudo, quando você gera um laudo de linguagem corporal, que seria o que o Dr. Cal Lightman faz na série, e que é oque eu faço também hoje em dia, posso dizer que é bem minucioso, você está gerando uma peça jurídica, certo? Uma prova por assim dizer, e uma prova, ela vai ter a sua parte no processo penal, em toda persecução penal, mas é quase que impossível ela conseguir solucionar o caso.

Isso porque no Brasil a gente tem vários critérios, vários conceitos penais que não vão favorecer uma prova cabal, vamos dizer assim, o primeiro deles, a gente tem o In Dúbio Pro Reo, que é na dúvida, você decide a favor do réu, e não para incriminar o réu, então você imagina que você tem uma analise de linguagem corporal, e na audiência aquilo é visto como algo um pouco subjetivo, é a única prova que tem, o advogado argumenta isso, e o juiz pode então anular aquela prova por conta do In Dúbio Pro Reo, essa prova está muito subjetiva, não sei se o cara está mentindo, se a única forma de provar que o cara está mentindo é essa, então está anulado.

Outra coisa, aqui no Brasil não existe laudo matador, o cara provou no laudo que fulano estava mentindo, não! Espera lá, o cara apresentou um laudo, mas a última palavra é do juiz, é ele quem vai decidir se a pessoa é culpada ou não.

Então dificilmente você vai ter uma situação dessas Lie To Me na vida real, você que quer trabalhar com linguagem corporal, ou até mesmo com psicologia jurídica, dificilmente você vai ser o cara que vai chegar e falar: – “olha só, descobri que você estava mentindo, prendam ele”! As pessoas vão te chamar de louco e você ainda pode ser acusado por calúnia e difamação.

E vamos ao quinto critério, que pelo amor de Deus, quando eu escuto isso, ser um natural, como a personagem da serie Torres, a Torres para quem não entendeu, ela era uma natural, uma pessoa que desenvolvia habilidades naturais de detecção de mentiras, ela não precisava de curso nenhum, de estudo nenhum, ela era a natural, a pessoa que sabia detectar.

Na época, eu confesso que eu nunca pensei assim, eu nunca me imaginei um natural, mas o que eu recebo de gente mandando mensagem no meu direct falando, Vitor, eu acho que eu sou um natural.

ESCLARECENDO O “SER NATURAL” :

Vamos lá galera, primeiro, ser um natural é algo muito difícil, geralmente o processo para você se tornar um natural é muito perturbadoras, as pessoas que são consideradas naturais, que não precisam de cursos para detectar mentiras, tem uma habilidade natural em saber que a outra pessoa está mentindo, elas conseguem detectar a mentira de qualquer pessoa, em praticamente 100% das situações, mas o passado delas é marcado por negligência de atenção, negligência parental, abuso sexual, abuso físico e abuso psicológico, são pessoas que na infância vivenciaram algo traumatizante, sequencial, vários episódios traumatizantes, e por conta disso desenvolveram uma habilidade de saber quando alguém ia machuca-las, por isso que elas acabaram virando naturais, e antes de você pensar assim e pensar que é essa pessoa, fora todos esses critérios pesados que eu já falei da infância, os naturais representam uma parcela muito pequena da população, até mesmo inferior a 5% da população mundial, e isso é dito inclusive no artigo The wizards of deception detection da Maureen O’Sullivan e Paul Ekman, uma pesquisa que durou anos.

Então é assim, se vocês pensarem: “eu acho que sou natural, eu sou natural”  é que vocês conhecem o seu pai, sua mãe, seu irmão, sua irmã, por isso que você acerta as mentiras deles.

Se você chegar para analisar um cara que é suspeito, o cara vai te levar na conversa larga, então calma, estude bastante a respeito antes de tirar conclusões precipitadas.

Bom pessoal! Espero que vocês tenham entendido meu ponto de vista e alertas de Lie To Me, levando em conta que apesar dos pesares, foi uma grande série e tem meu respeito.

Abraços e até o próximo post.

Transcrição – Equipe Metaforando

A CHARLATÃ QUE “LIMPAVA” A CARTEIRA DE SEUS CLIENTES.

Uma Charlatã foi condenada por extorquir dinheiro de suas vítimas! Como ela fazia isso? Quais sinais de manipulação e charlatanismo ela demonstrou?

Isso mesmo, uma médium que fazia “limpeza espiritual” na vida das pessoas tirava maldições, foi declarada culpada por extorquir dinheiro delas, se essas pessoas sabiam disso, porque elas davam dinheiro para essa médium?

Hoje o assunto é desmascarando charlatões, vamos falar sobre um caso real, de uma charlatã real, que foi considerada culpada e está pagando sua pena na prisão Norte Americana, por extorquir dinheiro de pessoas vulneráveis.

Para falar sobre esse caso o perito Vitor Santos, especialista em Linguagem Corporal utilizou como fonte uma matéria do jornal The New York Times e várias outras matérias que falam sobre o caso de Sylvia Mitchell. Vamos à análise:

O QUE ESSA MULHER TINHA DE DIFERENTE?

Ela era uma médium que oferecia serviços, em teorias espirituais, basicamente, dentre várias coisas, ela tinha muito sucesso, removendo maldições, encantamentos e feitiços de pessoas que achavam que estavam nessa condição, de amaldiçoados e enfeitiçados. Vou destacar o comportamento dessa charlatã, e ver o que se relaciona e o que tem a ver com alguém que está tentando te enganar, para você ficar atento também.

A primeira coisa que a gente consegue observar nos relatos das pessoas, das vítimas, é que a Sylvia se preocupava muito em criar um gatilho de dependência, nas pessoas que ela iria atender. Então era muito comum as pessoas dizerem que precisava da ajuda da médium, aí a médium conversava com elas, (o artigo chega até a dizer que a médium assustava suas vítimas), geralmente ela falava algo muito assustador, muito espalhafatoso, muito estrondoso, as vítimas ficavam assustadas. Então a médium colocava um gatilho de dominação, dizendo para a pessoa, ou melhor, deixando bem claro que a pessoa precisaria dela, criando esse gatilho de dependência.

No livro “Dangerous Personalities” do ex-agente do FBI, Joe Navarro, é citado como que manipuladores acabam criando em você, uma sensação de dominação, na qual você pensa que não tem forças suficientes para tomar alguma atitude, alguma decisão, e acaba pensando que é melhor confiar no manipulador, confiar na pessoa que está te manipulando, isso se chama gatilho de submissão ou gatilho de dominação. Basicamente eles entram na sua cabeça, manipulando suas emoções e acabam fazendo com que você acredite mais na palavra deles, do que na sua.

Então nós vamos para o nosso segundo ponto, vendo as matérias e vendo os relatos das vítimas de Sylvia Mitchell, observei que ela fazia muita manipulação emocional. Tem uma cliente dela, no caso, a cliente que ela roubou mais dinheiro, que ela extorquiu mais, onde a Sylvia foi criando vários gatilhos, a cliente era uma mulher importante, tinha o seu destaque social, então, a Sylvia brincou com isso, disse que na vida passada, essa mulher teria sido uma princesa do Egito, uma princesa muito rica, muito poderosa, muito cobiçada, manipulando o ego da cliente, inflando o ego da cliente, fazendo a cliente ficar confortável, ficar à vontade com ela, por que ela estava assim de certa forma, bajulando a cliente.

Em contrapartida ela diz uma informação estrondosa, você foi amaldiçoada no passado, como uma princesa do Egito, te lançaram uma maldição muito forte, você encarna, você volta, passa os ciclos e até hoje essa maldição está com você, então observem, ela cria agora, a manipulação do medo, ela manipulou o ego, deixou a pessoa “inflada”, agora deixa a pessoa vulnerável, a pessoa acaba ficando com medo, no artigo, as vítimas diziam ficarem com medo de não fazer o que ela estava falando, isso também é citado no livro “Dangerous Personalities” de Joe Navarro; que os manipuladores geralmente não vão para um diálogo racional com você, eles não vão te explicar, não vão dar detalhes, tipo; “pode ser que aconteça isso aqui ou ali”, não! O charlatão vai te manipular pela emoção, ele vai colocar sua emoção lá em cima, depois ele vai colocar sua emoção lá embaixo, como ela fez dizendo: _ você foi uma princesa, mas você está amaldiçoada, mas pode voltar a ter a vida de princesa, se você se livrar dessa maldição, tipo aquela cena do filme a hora do gelo, onde ele fala, a gente vai viver! A gente vai morrer!

A charlatã, Sylvia Mitchell

O que nos leva para o nosso terceiro critério, CHARLATÕES, pessoas que querem te enganar, golpistas, não são racionais, eles não fazem uma comunicação racional, eles são extremamente racionais, eles são bem espertos, mas na hora de se comunicar com você, deixam tudo mal-entendido, o dito pelo não dito, não comunicam as coisas de forma clara, de forma direta, objetiva, por exemplo, a médium Sylvia Mitchell falava para as vítimas dela coisa do tipo; você está amaldiçoada porque foi uma princesa cobiçada no passado, vamos fazer o seguinte, você precisa melhorar e treinar o seu abandono material, ser menos voltada para as coisas materiais, então, eu vou fazer um teste com você, deixa US 15 mil comigo para treinar seu abandono, pode ficar tranquila, deixa comigo, é só um teste para treinar esse seu abandono, vamos começar assim, mas ela não explicou de forma direta sobre esses USD 15 mil seria o valor dos serviços de médium charlatã enfim o pagamento dela.

Agora se esses USD 15 mil iriam retornar para a vítima era outra estória, era exatamente nesse ponto que as vítimas perdiam, por que elas ouviam esse argumento, você está passando por um teste espiritual de abandono material, ai a vítima pensava, eu deixei lá o meu dinheiro, mas não está voltando, ela não me devolve.

Exatamente por isso que os charlatões nunca se comunicam de forma clara, é sempre o dito pelo não dito, porque nessas brechas que deixam abertas, onde eles não falaram de forma clara, são nessas brechas que eles irão te explorar, irão fazer o golpe e te prejudicar.

Então fique atento, você vai faze alguma coisa? Tenha garantias, um exemplo, você quer US 15 mil? Você pode até acreditar que tenha uma maldição, que você queira fazer esse exercício de abandono espiritual, mas tenha uma garantia, faça um contrato de serviço, ou outro tipo de contrato, onde diz que você está entregando US 15 mil em troca de um serviço, mas que depois esses Us 15 mil voltam para você, ou qualquer coisa desse tipo, mas faça um contrato.

PORQUE OS CHARLATÕES FAZEM ISSO?

Pode observar, quase nunca tem um contrato, sempre fica o dito pelo não dito, fazem isso para pegar a pessoa pelo emocional, deixando ela preocupada com a maldição ou dizendo que forças negativas que estão sobre ela, assim se facilita na hora de pedir o dinheiro e a pessoa entregar, ela acaba cedendo. Então a dica que eu dou é a seguinte, está na dúvida? Está sentindo que você está muito emocionado? Pisa no freio e faça perguntas, faça muitas perguntas, tenha garantias.

Último ponto que a gente vê nos relatos da Sylvia Mitchell, é que charlatões, geralmente apresentam o plano perfeito, raramente você verá um charlatão apresentando algo que tenha uma margem para algo negativo, geralmente eles apresentam a solução ideal, não existe outra ideia, apenas a deles é a melhor, é a ideal. Normalmente eles fazem isso porque muitos deles são narcisistas, são extremamente arrogantes, mas a maioria quer apenas colocar o plano perfeito para ludibriar pessoas que acabam acreditando nisso, porque a maioria das pessoas sabe que não existe o negócio perfeito. Por mais que você pesquise a compra de uma casa, um carro, não vai existir a compra perfeita onde só tem vantagens, então, os charlatões, tentam colocar o plano perfeito, a solução perfeita, logicamente para poder te enganar, para que você acredite que está fazendo o melhor negócio da sua vida, mas, na verdade você está perdendo.

Bom pessoal, eu vou ficando por aqui, espero que vocês aproveitem esse post para detectar os charlatões que cruzarem seus caminhos. Fiquem atentos!

Abraços – Transcrição -Metaforando