Blog

Como “Psicopatas” te manipulam?

Olá, tudo bem com você? Já se perguntou alguma vez se alguém que você conhecia era um/uma “psicopata”? Já sentiu algo estranho quando conversou com determinada pessoa? Como se ela fosse perigosa ou apresentasse algum perigo pra você? 

Quem nunca teve crush ou contato com alguém “tóxico”?

Na matéria de hoje, não vamos falar especificamente sobre psicopatia, pois é um assunto que diz respeito diretamente a psicologia, porém, falaremos sobre sinais que pessoas manipuladoras ou até mesmo dotadas de transtornos antissociais, podem apresentar (fique atento aos sinais e evite se aproximar de pessoas assim). Vamos lá!

“Não, eu tô certo! Faça isso!”

VOCE JÁ SE DEPAROU COM AQUELE TIPO DE PESSOA QUE ACHA QUE É DONA DA RAZÃO?

Pessoas autoritárias ou que sempre querem mandar, podem fazer isso para manipular a situação e consequentemente manipular você (muitas vezes, te prejudicando).

Pois bem, posso afirmar que pessoas autoritárias podem nos causar mal, nos fazer sentir impotentes, porém se detectarmos esse sinal rapidamente, podemos evitar logo no início da nossa relação que elas tentem nos manipular.

MAIS PERTO DO QUE VOCÊ POSSA IMAGINAR

Você já se deparou com aquele tipo de pessoa que acha que é dona da razão? Aquela pessoa que pensa que manda em tudo, pode fazer e desfazer e “ai de você” se não obedecer a essa criatura, ela fica brava.

Você já deve ter convivido com alguém assim, infelizmente.  Mas atenção, a não ser seus pais (em alguns casos, nem eles), NINGUÉM deve ter o direito de falar pra você o que deve fazer ou não e ainda mais fazer isso de forma autoritária. Mas porque é que muitas vezes a gente conhece aquela pessoa que sabemos ser autoritária, manipuladora, e ela manda fazermos algo que não queremos fazer aí acontece que na maioria das vezes parece estranho discordar daquela pessoa naquele momento e se negar a fazer que ela mandou? Você já passou por isso? Se sentiu meio estranho e talvez até ficou com medo de se negar a fazer aquele pedido? 

Às vezes um simples pedido para sair ou para ir a um lugar, para fazer uma coisa ou pegar um negocio pra ela, você não quer fazer, mas acha estranho discordar daquilo? Pois é isso acontece e o nome disso é; gatilho de submissão ou comportamento submisso e felizmente como somos nós mesmos que nos colocamos esse gatilho, nós também podemos evitar que esse gatilho de submissão ocorra e que outras pessoas possam nos manipular.

Pessoas que te inferiorizam são altamente manipuladoras. Cuidado!

OS TRAÇOS DE PESSOA MANIPULADORA

Eu vou agora exemplificar como esse gatilho de submissão ocorre com um caso real envolvendo uma pessoa com transtorno anti social, um criminoso, assassino em série popularmente conhecido como psicopata; o serial Killer Tiago Rocha de Goiânia, o famoso “assassino da moto”. Ele matou mais de 30 mulheres entre os anos de 2012 até 2014, neste caso observei a forma com que ele se comportou em uma entrevista de TV. Agora vou pontuar como que aos poucos uma pessoa manipuladora vai “mandando” em  você sem que você perceba.  E fique atento porque tudo isso que eu vou falar agora é aplicável para qualquer pessoa em qualquer hora de qualquer lugar, ou seja, no seu trabalho na sua faculdade ou em casa, festa de família ou relacionamentos pessoais porque as pessoas manipuladoras podem estar em todos os locais de seu convívio e você pode usar as técnicas que vou passar (e observar os sinais que vou te mostrar) para se livrar delas.

Entrevista de Thiago Rocha, para a TV (Rede Record).

NECESSIDADE DE CRIAR AUTORIDADE:

E a primeira coisa que pode nos alertar sobre uma pessoa manipuladora é perceber a necessidade que ela tem de criar uma imagem de autoridade, ela precisa que você acredite que ela (a pessoa manipuladora) é superior para então, poder mandar em você. Dificilmente uma pessoa manipuladora vai chegar mandando em você do nada, dando uma ordem do tipo; “vai pra lá eu estou mandando!” Mas em casos onde a pessoa é mais dissimulada, um pouco mais capciosa por assim dizer ela vai comendo pelas beiradas, dificilmente ela chegará a você gerando uma autoridade brusca, porém ela tem conhecimento de que há essa necessidade. 

Então ela vai começar a fazer pequenos atos que aparentemente vão parecer sem sentido ou corriqueiros pra você,  mas para ela é uma forma de já ir estabelecendo inconscientemente (em você) que ela é superior, de que “ela manda” Como por exemplo; entrar na sua frente e pegar alguma coisa antes de você pegar, buscar pra você algo como um café ou suco, alguma coisa qualquer que você não pediu, e mesmo quando você fala ‘não obrigado’ ela vai e fala: “não toma aqui”, e coloca aquilo na sua frente  sem o seu consentimento. Outros exemplos seriam; falar um pouco mais alto que você ou te cortar no meio da conversa, se desculpando dizendo que não percebeu ou seja, atos triviais que a princípio são normais do dia a dia e que as pessoas fazem sem querer te manipular. Porém você deve observar a frequência com que esses sinais, essas atitudes ocorrem e com quem, se é só com você ou com várias pessoas, porque geralmente as pessoas manipuladoras tentam manipular a todos mas também tem alvos específicos, ela vai fazendo uma calibragem para ver quem é mais submisso e então ela define seu alvo. Por isso preste muita atenção; isso acontece uma vez com você? acontece duas? três? fique atento aí!

GATILHOS DE COMANDO:

E a segunda coisa a destacar é que esse comportamento dela de “simples pedidos” vai escalar para o tipo de comportamento associado a pedidos autoritários como por exemplo do nada ela começa a pedir um simples copo d’água, e de um copo d’água vai pedir para você comprar algo, vai pedir pra você pegar um negócio aqui outro ali, chega a te interromper no meio do trabalho só para você ouvir ela falar. Observe que a ideia na cabeça de uma pessoa manipuladora  é estabelecer um princípio entre “ordem dada” e “aceitação da ordem” na hora, ou seja, eu mando (em forma de pedido) e você obedece! E assim ela vai fazendo isso por algum tempo e vai repetindo esse processo várias vezes pedindo com uma voz mais leve e inofensiva: “faz isso pra mim, por favor amigo dá uma passadinha lá cantina só pra ver se eu esqueci um negócio lá.”

O interessante é observar o momento que esses pedidos acontecem e geralmente é quando tiver um grupo por perto, isso é para estabelecer uma dominação em frente aos outros, mas  vou abrir um parêntese aqui,  isso pode ocorrer no extremo oposto também, essa pessoa pode sempre fazer um pedido que vai te colocar mais sozinho com ela, porque para uma pessoa manipular outra com sucesso é necessário que não haja outras pessoas em volta, assim fica mais fácil de manipular. Portanto esse comportamento de petições acontecendo de maneira excessiva vai escalar para o comportamento de ordens e ai sim deparamos com seu comportamento autoritário e manipulador. 

MANDÃO E BRAVO:

Basicamente após vários pedidos atendidos a pessoa começa a não ser mais tão doce como era, nem por favor ela fala mais, pelo contrário, pedidos começam a virar ordens e quando  você se recusa a fazer ela fica brava, desapontada e as ordens começam a ocorrer com mais frequência e você não se sente confortável com o que está  acontecendo fica chateado e mesmo assim acaba cedendo.

Primeiro é um pedido, depois é um grito.

VOCÊ PODE SE HABITUAR A SER SUBMISSO:

Se você se identificou com isso, seu cérebro criou um gatilho um hábito inconscientemente associado àquela pessoa de que sempre que ela manda você obedece!  Esse gatilho foi instalado ao longo do tempo quando ela começou lá atrás a ter aqueles pequenos atos de superioridade passar à sua frente falar mais alto do que você, te cortar quando você estava falando, depois escalou te pedindo uma coisa aqui, outra ali, e como já mencionei, depois esse comportamento escalou para ordens, comportamento autoritário ou seja ao passar do tempo o seu cérebro foi entendendo que era normal aquela pessoa ser autoritária e você obedecer.

Comparando essa situação com algum hábito saudável como, por exemplo, correr todo dia, ir à academia, você sabe como é difícil quando você quebra esse hábito, parece que está fazendo alguma coisa de errado não é mesmo? Pois é, a mesma coisa acontece quando você se acostuma a obedecer a uma ordem (por mais esquisita que seja) que você não queira fazer, parece estranho não acatar aquela ordem.

A MENTE DE UM MANIPULADOR

Olhando agora para o caso do Thiago o assassino de Goiânia vou pontuar como ele tentou escalar o comportamento autoritário com a equipe de reportagem, observei na entrevista que ele é uma pessoa manipuladora , em um dado momento da entrevista  ele diz ao repórter  estar incomodado com algo e pede um tempo para falar a sós com a advogada, volta e pede pra equipe desligar a câmera, toda equipe OBEDECE, então ele diz se sentir intimidado e quer o mínimo possível de pessoas na sala, então ele ORDENA que só fique na sala o cinegrafista o repórter e a advogada. Veja apesar de já ter concordado em dar entrevista ele tenta impor uma nova condição e faz outro pedido dizendo que tem um familiar que precisa de ajuda financeira e ele quer ajudá-lo, concedido mais este pedido a entrevista segue, porém ele interrompe com mais um pedido, o repórter pergunta qual é, ele diz pra trocar a câmera de posição, colocar do outro lado, diz que prefere mostrar apenas o lado esquerdo do rosto, a equipe novamente OBEDECE confirmando  aquilo que já comentei aqui, ele começa fazendo pequenas exigências e como  uma pessoa manipuladora ele reduziu as pessoas que estavam  com ele pra poder manipulá-las com mais força.

CONCLUINDO:

A pessoa manipuladora sempre te coloca numa situação em que você tem que se justificar e sempre parece que você está errado, o correto em uma situação dessas é você ter pulso firme, e bater o pé, olhar pra ela e dizer não e ponto: “Não vou fazer e acabou”

Sempre fique atento aos sinais, e evite deixar com que os outros te manipulem!

Um abraço e até a próxima!

Participante Trapaceou AO VIVO na TV?

Olá amigos, tudo bem com vocês? Dentre vários vídeos e várias análises feitas, nenhuma me fez rir tanto, quanto essa que vou relatar para vocês. Essa foi, inclusive, a análise em meu canal que contou com mais visualizações até hoje (atualmente quase 8 milhões de views). O vídeo chama-se: “Participante Trapaceou em Programa de TV?”. 

Nesse vídeo comento sobre uma situação polêmica e curiosa, onde supostamente um participante de um dos programas da emissora SBT, poderia ter “trapaceado” para ganhar uma premiação em um daqueles sorteios de programas de auditório. O que será que eu observei?

Pra quem não sabe: o programa “roda roda Jequiti” acontece semanalmente na emissora do Silvio Santos (SBT), onde os consultores  e clientes da Empresa de Cosméticos, Jequiti  são sorteados e convidados para o programa e lá participam de uma série de jogos valendo uma premiação em dinheiro. E tem um determinado momento  no qual eles precisam sortear um nome onde o sorteado também ganha alguma espécie de prêmio.

SITUAÇÃO INUSITADA: 

Aconteceu então que em um dos episódios, um participante chamado Matheus foi realizar o sorteio e quando ele pega o papel no meio do monte e vai ler o nome da pessoa que ganhou ele tem uma “grande surpresa”; pois acaba que ele sorteia o seu próprio nome, ou seja ele pegou o nome dele e acabou de ganhar mais um prêmio, o que realmente é bem impressionante , será verdade ou rolou tramoia? 

A própria emissora de TV SBT, veio a público, falando na imprensa que não foi armação e eu resolvi analisar o vídeo desse trecho da premiação para ver se encontrava ali sinais de incongruências, vamos rever essa análise?

O Participante esboça “surpresa” ao saber que foi sorteado por si próprio.

SERIA SORTE?

No momento em que a cena mostra o participante se dirigindo ao baú de papéis jogando uma boa quantidade pra cima mostrando que ele que está “escolhendo” um papel para contemplar  ele tira um papel e fica segurando na mão esperando a apresentadora ler um nome que ela também pegou, em seguida ela vai para o papel dele pra ler e a hora em que a apresentadora  lê o papel que estava na mão dele, miraculosamente descobre que o rapaz sorteou ele mesmo, aí ele solta um “ é o que ?????”   fica encabulado, surpreso a plateia aplaude Matheus e ele diz que realmente é o nome dele. 

SURPRESA FALSA?:

O primeiro ponto a ser falado é essa reação de surpresa “antecipada” dele quando ouve seu nome, isso por si só já é muito esquisito porque ela (a apresentadora) não fala o nome inteiro dele , simplesmente diz Antônio Matheus… Ao que ele já responde, em tom surpreso “É o que?”

E onde entra o “fator suspeito” nisso? Bem, vamos supor que eu chamasse  João Pedro de Paula da Silva, e alguém falasse; João Pedro e na sequencia eu já falasse “sou eu, só pode ser eu , num auditório cheio de gente com varias pessoas  e aquele baú cheio com os nomes de vendedores da Jequiti de TODO Brasil,  João Pedro só pode ser eu mesmo”.
É um ponto esquisito, mas também é passível da pessoa se sentir surpresa, ela realmente  pode achar que foi ela, porém analise comigo essa ”surpresa”

Primeira coisa; eu não vi uma sincronia emocional quando ele dispara: É o que???. Conforme descrito por Ekman no livro Emotions Revealed , como uma emoção tem uma velocidade de processamento muito mais rápido a tendência é que a gente processe a emoção no cérebro a fibra muscular gere uma expressão facial e na sequência a gente consegue expressar ali outros comportamentos como por exemplo, bater numa mesa, se afastar ou verbalizar uma informação e aqui nesse momento vejo  que ele começa a verbalização antes, no meio da fala dele e ele faz a expressão de surpresa ali, coloco um ponto negativo aqui nesta expressão de “surpresa”. Outro fator interessante é que essa expressão de surpresa (do participante Matheus), não é sucedida diretamente, sequencialmente por outra emoção. 

Conforme já foi observado em outras análises e também já foi citado no livro Emotions Reveled e também no livro Telling lies , uma emoção de surpressa é a que tem a duração mais curta porque ela é uma emoção sem qualificação, é uma emoção neutra. Logo é muito comum, que uma outra expressão emocional apareça imediatamente após uma expressão de surpresa. Tais como, surpresa -raiva, surpresa- medo.

E nesse momento não é isso que consegui observar no Mateus  , ele faz surpresa e volta expressar a face neutra, ou seja é menos um ponto , no quesito “genúino” pra essa expressão de “surpresa”. O tempo médio de duração de uma expressão de surpresa pra se transformar em outra emoção é de no máximo um segundo.

A VOZ DE SURPRESO?

Por ultimo eu observei  a vocalização dele que soou muito fina quando fala:
“É oqueeeee?” Como está constatado na tabela de pesquisas do protocolo  Scans, quando temos uma fabricação emocional da surpresa o comportamento vocal que mais ocorre é um ponto de intensidade no aumento do tom vocal. Como temos apenas um ponto de intensidade, seria algo um pouco mais diferente do que o normal ou seja é uma escala um pouco acima do nosso tom vocal normal, então por exemplo: se eu tivesse surpreso eu falaria no meu tom “normal” sem alterar tanto o timbre de voz como noto neste momento no participante do programa (cuja voz fica MUITO fina, com certeza mais do que uma mera escala acima de seu tom padrão). Destaco  que esse tipo de comportamento vocal é mais comum na raiva e no medo segundo a tabela do protocolo  cientifico Scans.

PONTO CRUCIAL:

 Primeiro ponto antes dele começar a buscar os papeis ali na caixa do sorteio eu pude observar que ele estava de relógio, o que não deixa de ser um objeto normal, mas neste caso dado o contexto na combinação de vários outros sinais, pode sim ser um compartimento pra esconder um bilhete ou qualquer outra coisa, tendo em vista os ilusionistas que fazem uso de relógios, bolsos, bonés para guardar objetos, itens dos truques de mágica deles.

Também é interessante eu mencionar que quando vai começar o sorteio, um pouquinho antes está passando um comercial para todos no auditório ou seja a câmera não estava filmando ele, isso na mágica é chamada de MISDIRECTION é quando eu pego a atenção do público e coloco em outro foco, outro estímulo enquanto realizo a mágica num “ponto cego”. Então com o comercial rolando a pessoa teria tempo suficiente pra pegar um papel do relógio e passar para outra mão, sorrateiramente.

HORA DA TRAMOIA?

Enfim, todos no auditório terminam de ver o comercial, inclusive os apresentadores e os participantes (Mateus também), e nesse exato momento vemos algo nas mãos de Mateus, adivinhe só? Exatamente; uma movimentação incongruente (como se estivesse movendo algo de uma mão para outra).

Estaria Matheus passando o bilhete com “o próprio nome” de uma mão, para outra?

Comparando com a mão da apresentadora  quando ela está abaixando pra pegar os papeis então as duas mãos dela estão separadas , paralelas e descendo e ao mesmo tempo ABERTAS pra pegar os papeis.

A apresentadora, por sua vez, desce com as mãos abertas e separadas para pegar os papéis, por que será que Matheus estaria com as mãos tão próximas neste momento?

O que consigo observar no participante Matheus neste momento, é que suas mãos descem de forma desalinhada, não paralelas como as da apresentadora. Se levarmos em conta o fato dele estar com as mãos muito próximas antes (imagem acima) podemos entender essa posição das mãos dele como no mínimo esquisitas, certo?

Além das mãos não descerem paralelas a mão que está fechada desce um pouquinho depois do que a primeira mão que está aberta (se eu tivesse ajeitando um papel dentro dela, eu daria um delay de tempo ali pra ninguém ver enquanto desço o outro braço).

Então durante o momento do sorteio, de fato, enquanto o participante está jogando os papeis, pegando vários papeis ali eu consegui observar que ele está procurando os papeis com uma abertura de mão diferente: Uma mão dele fica fechada e a outra aberta procurando papeis, novamente reforço que é uma abertura estranha mesmo, pois se o intuito é “pegar papéis” por que eu ficaria com uma mão fechada movimentando ela dentro do baú?

Ele pegava os papéis de forma estranha, uma das mãos estava quase fechada e a outra aberta, por que será? Já tinha algo naquela mão que estava mais “fechada”?

 Por fim a hora que ele para de jogar os papeis e vejo ali que ele traz esse papel virado pra cima, pra ele e posso supor que houve um (facial chekin) que é quando eu quero olhar pra confirmar uma informação e consigo observar ali contrações na região zigomática, deixando o lábio em arco, (com a barriga pra baixo) deixando a forma de um pseudo sorriso podendo ser uma micro expressão de felicidade, ora, se eu não sei quem é que foi comtemplado ainda, porque ficaria feliz em ler um nome num papel? 

Por que ele estaria olhando pra baixo ao pegar o bilhete? Por que ele ficaria feliz ao ver o bilhete?

Então após todo esse sorteio, temos aquela famigerada expressão de “surpresa”, que aparenta muito não ser genuína.

CONCLUSÃO:

A própria emissora, na época emitiu uma nota reconhecendo minha análise, porém, dizendo que na visão técnica deles, ninguém tinha “trapaceado” naquele programa.

Eu não julgo ninguém, nem o participante, nem o programa, mas observo possíveis incoerências sempre que posso, e tento comentar de forma técnica. A respeito desse episódio, me lembro da fábula do “bobo das moedas”, um homem que era tido como entretenimento público por não saber reconhecer a diferença entre os valores de diferentes moedas. Lhe apresentavam uma moeda de valor pequeno (5 centavos) e ele ficava deslumbrado, perguntavam se ele queria trocar por outra de maior valor (mostrando lhe uma moeda de 1 real, por exemplo) e ele dizia que não, que adorava aquela cor de moeda (de 5 centavos), todos riam, e voltavam no dia seguinte para “brincar” com o “bobo”.

Moral da história: Todos riam, ele nunca fazia a distinção correta de valores, mas todo dia ele estava recebendo seu dinheirinho, será que ele assim o estaria se afirmasse saber a diferença entre os valores? Quem sabe, eu só analiso.

Najila Trindade e Neymar: Quem mentiu?

Trecho de minha análise, publicada no canal Metaforando.

Uma das análises mais polêmicas e mais solicitadas no meu canal foi a do jogador de futebol Neymar, envolvido no que ficou conhecido como “O caso Najila”. Fui em inúmeros veículos da mídia comentar sobre esse caso, e após algum tempo a própria mídia noticiou a resolução, Najila que acusava Neymar de estupro, perdeu o processo e teve sua vida devastada.

A SITUAÇÃO: Em meados de 2019.

Najila Trindade, Modelo.

A modelo carioca Najila Trindade, troca mensagens com o jogador de futebol, Neymar Jr.
As mensagens, que teriam sido vazadas pelo próprio Neymar, mostravam que os dois tinha bastante intimidade em suas conversas (realizando até troca de fotos íntimas), e até mesmo demonstravam sensações positivas enquanto falavam um com o outro. 

Em determinado momento do contato dos dois, Neymar teria sugerido que Najila fosse para Paris, onde o craque morava na época deste evento. Najila teria aceitado uma ajuda financeira de Neymar para viajar até Paris, e teria inclusive se hospedado num hotel, selecionado pelo jogador. Eles então teriam se visto pessoalmente, e algo de negativo teria acontecido naquele quarto, pois seria a partir dali que se iria se desenrolar todo o caso.

O CASO: “Neymar me estuprou!”

O caso ocorre sobre uma acusação de estupro. O jogador de futebol Neymar que já havia se pronunciado sobre uma acusação de estupro envolvendo seu nome passou por mais uma atualização polemica na mídia, Najila Trindade a mulher que acusou Neymar sobre estupro e agressão, se pronunciou publicamente em uma entrevista ao SBT.

Na entrevista concedida por ela, logo após Neymar postar um vídeo em suas redes sociais dando “a sua versão” dos fatos, Najila diz que quando se encontraram, Neymar teria ficado agressivo e teria cometido ato sexuais com ela, mesmo após ela ter pedido para que ele parasse. Ela alegou ainda que o jogador a agrediu fisicamente. 

MINHA ANÁLISE: “Najila trindade: Sorriso da Mentira?”

Então começo a minha análise observando alguns pontos críticos na fala de Najila para entender  o que ela sentiu ao relatar isso e se existia ali sinais de incongruências que poderiam ser destacados em sua linguagem corporal. 

A VESTIMENTA

Sua vestimenta passava um ar de “garota indefesa”.

O Primeiro ponto que gostaria de relatar é sobre a roupa que a Najila usou pra conceder a entrevista; uma roupa sem decote, gola alta, uma camiseta simples com desenho colorido, uma roupa típica de ficar em casa que transmite a ideia de uma pessoa comum, nada parecido com as fotos que foram encontradas nas redes sociais, basicamente isso pode ser considerado como um S3 (Impression Management) neste caso é uma tentativa de dar uma manutenção na aparência dando a impressão de uma pessoa honesta, uma pessoa caseira, não uma mulher sensual nada disso. 

Esse tipo de estratégia inclusive já foi utilizada aqui no Brasil por uma psicopata chamada   Suzane von Richthofen na entrevista que ela deu na ocasião do assassinato dos pais, ela usava um pijama com desenhos, bem infantil, para aparentar de uma menina indefesa de uma garotinha que não sabia o que estava fazendo e era pura de coração.

ESTRUTURA VERBAL DO RELATO

Ao ser questionada pelo repórter se ela tinha ciência de que uma relação sexual poderia acontecer no encontro com o jogador Neymar ela diz:  -Sim….era meu…meu intuito era esse! Neste trecho consigo observar que houve uma alteração de tempo, uma pausa um pouco mais longa do que todas as pausas que ela dá antes de responder as perguntas, essa pausa pode estar associada a uma tentativa de manipulação, ou seja “vou ganhar tempo pra elaborar uma resposta melhor”  

Quando ela diz “Sim meu intuito” era esse a sua voz fica mais aguda, segundo pesquisas evidenciadas no livro (Getting to the Truth – Lansley) a nossa voz fica um pouco mais aguda porque nossas pregas vocais estão sobre o efeito do hormônio da adrenalina, isso causa um enrijecimento muscular (dentre várias consequências) e como as cordas vocais são músculos, nossa voz acaba ficando um pouco mais fina. 

Quando ela começa a falar de uma maneira mais pessoal, quando ela começa a contar os relatos de maneira mais emotiva e espontânea, ela utiliza termos bem mais populares como por exemplo; “ ele bateu na minha bunda violentamente “ (naquele momento ela está tendo uma reação emocional) como também em outro momento que ela cita que o seu primeiro advogado abandonou o caso “ ele disse pra mim: você não foi estuprada, você deu porque você quis” Ou seja ela usa uma linguagem popular, por isso que aqui neste contexto, neste momento a palavra  “intuito” difere um pouco da linha de base verbal dela.

Para responder ela geralmente utiliza as mesmas palavras que foram usadas na pergunta, o repórter cita “intuito” e ter uma “relação sexual”, e é basicamente com essas mesmas palavras que ela responde as indagações. Essa estratégia verbal (Chamada S2) geralmente é usada quando alguém mentindo, está receoso de “dar com a língua nos dentes” e acabar se entregando, então, para responder algo crítico sem se complicar, o mentiroso pode adotar essa forma de responder a pergunta com palavras da própria pergunta. 

EXPRESSÕES FACIAIS:

AU10: Nojo

Mais uma observação que se destaca é uma micro expressão de NOJO quando Najila conta  que tinha o “intuito” de ter uma relação com ele especificamente neste trecho; “Desde quando comecei a falar com ele” (NOJO caracterizada pelo AU10 levantador do lábio superior juntamente com uma negação de cabeça e um shrug bilateral) Esses pontos mostram  uma certa incongruência no que a modelo está dizendo, de que realmente ela teria interesse em ter relação sexual, isso pode acontecer por vários motivos, porque na verdade ela não tinha interesse na relação e sim em outras coisas, como namorar com ele por exemplo. 

Observei também no momento da entrevista em que ela se explica dizendo : “Eu tinha um desejo de ficar com o Neymar” que ela faz um gesto de juntar as mãos, caracterizado como  “gesto do pedinte” mais conhecido como “oração”.  

Além disso, ela não tira os olhos do entrevistador o que pode ser considerado um Facial Feedback. Geralmente quando contamos uma história é normal que quando a gente cite um ponto, olhe para a direção dele. Mas quando nós permanecemos focados no interlocutor, apenas olhando pra ele pode ser que a gente queira checar se ele está acreditando em nossa história, essa é mais uma estratégia de persuasão, comumente usada em narrativas manipuladas.

GRANDE INCOERÊNCIA NARRATIVA:

Foto divulgada por Neymar em seu instagram.

Destaco aqui uma potencial incongruência na narrativa nesta parte da história de Najila:
“Eu pedi pra ele parar e enquanto ele cometia o ato ele continuava batendo na minha bunda, violentamente, e depois eu girei (estavam na cama), foi tudo muito rápido, questão de segundos e me retirei” 

 Ela relata cronologicamente (no trecho acima) que estava deitada com Neymar na cama após estar despida e ali então eles trocaram carícias, e o Neymar então virou ela de lado, cometeu o ato sexual segundo Najila, contra a vontade dela, durante alguns poucos segundos como ela mesma relata, em seguida ela girou o corpo e se retirou (da cama) mas se voltarmos e observarmos o  primeiro vídeo do Neymar em que ele mostra as conversas: ELE enviou um foto pra ela de como ficou o “ato” em que ele cometeu ali a agressão , segundo ela relata, a agressão teria sido “com tapas fortes em seus glúteos”.  Ela até mesmo fala na entrevista que ele enviou a foto pra ela e o ex advogado dela teria acreditado na foto porque viu a foto como “prova” da narrativa de Najila.

Nesta foto que  teoricamente está relacionada a este momento em que ela está contando tem alguns pontos que diferem, primeiro ela não está deitada na cama como relatou na foto a gente consegue observar que ela está na verdade fora da cama, de joelhos na lateral da cama e debruçada na cama se apoiando com os cotovelos (posição popularmente conhecida como “de quatro”), segundo ponto incongruente é relacionado ao “tempo dos eventos” que ela está falando , ela relata que ele começou o ato contra vontade dela, foram poucos segundos aguentando ela deu um basta na situação girou o corpo e saiu, porém como já vimos além da pose na foto não ser a mesma que Najila descreveu, pra se tirar uma foto não é assim tão rápido. Vendo esta foto e comparando com o relato dela, fica o questionamento: Em que momento (nesses poucos segundos) quando Neymar começou o ato contra a sua vontade, ela girou e saiu fora? No meio disso tudo (antes dela girar) ele teve tempo pra parar, pegar o celular, entrar na câmera, focar (lembrando que quanto mais escuro, mais difícil pra focar  e tirar uma foto), tirar a foto e só então ela saiu dali? Isso não seria algo que é feito “em poucos segundos”. Então isso pode ser um potencial incongruência na narrativa nesta história.

CONCLUSÃO:

Najila e seus advogados.

As investigações do caso acabaram por inocentar Neymar, e como saldo, Najila Trindade ainda foi indiciada por denunciação caluniosa. Hoje ela comenta que sua vida virou de cabeça pra baixo na época dos eventos, e que ela “Passou pelo inferno” mas diz que está bem melhor atualmente.

MINHA OPINIÃO PESSOAL:

Acho que independente dela ter feito algo “de caso pensado”, ou não, a mídia e o público em geral, bateu bem pesado nela. Lembro que pensava “mas e o filho dela? O coitado vai ficar como, vendo todo mundo xingar a mãe dele de “puta”, “vadia”, “interesseira”?

Enfim, eu sei que isso acaba sendo o ônus de ter sua imagem vinculada a pessoas públicas  (ou você mesmo sendo uma pessoa pública), mas ainda me espanta a falta de empatia alheia.

Até uma próxima, 

Abraço sem proxêmica íntima!

Flordelis: Mandou Matar? (Análise Não Verbal)

Nos últimos dias meu canal, e meu nome, foram marcados em inúmeras notícias e postagens, geralmente dizendo “Metaforando acertou mais um”, “Olha só, não é que o Metaforando tava certo?”. Apesar de achar isso meio estranho, pois parece mais que eu era algum tipo de “Vidente” do que alguém que apenas estava teorizando, fui ver do que se tratava. Era sobre o caso Flordelis, quando vi a notícia me lembrei de tudo que observei enquanto analisava esse emblemático caso.

Flordelis e seu marido Anderson, quem ela supostamente mandou matar.

Há quase um ano, me foi solicitado inúmeras vezes, a análise do caso Flordelis. Ela era suspeita de ter participação no homicídio do próprio Marido (Anderson do Carmo). A Deputada, e também pastora dizia não ter nenhum envolvimento com a morte do Marido (que foi assassinado na garagem da própria casa, tendo sido alvejado mais de 30 vezes). Minha análise foi vista como “não favorável” a Flordelis, uma vez que indiquei alguns pontos com grande chance de serem dissimulações ou inverdades. E agora, quase um ano depois, a verdade vem a tona, a investigação acusa Flordelis de ser mandante do crime.

RELEMBRANDO: 2019

A FACE:

Em entrevista ao câmera Record para dar “a sua versão” dos fatos envolvendo a morte do pastor Anderson, Flordelis demostra vários sinais de incongruências. O ponto principal observado na face dela, são as expressões de Felicidade que demonstra inúmeras vezes, com micro sorrisos e micro contrações na região orbicular dos olhos.

Como no momento em que o repórter pergunta como ela está se sentido após a morte de seu marido, ela faz uma micro expressão de FELICIDADE, podemos observar isso pelo zigomático maior contraído bilateralmente; AU12B.

Um outro momento emblemático, ocorreu na entrevista para a rede Globo (programa Fantástico), quando Flordelis é questionada sobre “quem poderia ter matado o pastor Anderson” (frame abaixo).

Novamente, ela exibe felicidade, com um micro sorriso, o que é muito incoerente. Em sua linguagem verbal ela faz uma pergunta nesse momento, dizendo algo como “Pois é, essa é a grande pergunta”. A reação mais comum em situações como esta, seria o uso de um comportamento mais reativo, e voltado para emoções negativas, como por exemplo chorar, gritar, xingar, mas não um sorrisinho.

O comportamento facial de “felicidade” poderia nos dizer que ela (Flordelis) experienciava o que é chamado de Duping Delight, ou a “satisfação” que o mentiroso tem, quando acredita que sua história falsa está “colando”.

DISCURSO INCOERENTE:

Além dos vários sorrisos expressos por ela nessa entrevista, ainda podemos ver um estilo verbal mais “afastado”, que acontece geralmente quando o mentiroso evita abordar diretamente um tema, ou prefere usar frases de efeito. Isso fica evidente logo após ser perguntada “como está se sentindo” (em relação a morte do marido) quando ela diz : -“ Dizem que o tempo melhora esse tipo de situação, mas não está sendo esse o meu caso”.

Lembro que esse tipo de linguagem me chamou muito a atenção, pois esse estado de certa “apatia” com as palavras, é algo muito marcante em casos onde o mentiroso se convence de que não será pego. Ele joga com uma máscara social positiva, altruísta, e acaba cometendo frases como essa, onde geralmente é passada uma espécie de “sabedora”. Quando ouvi ela dizer isso, meu foco redobrou nessa análise.

O uso de uma linguagem tão formal (“não está sendo esse o meu caso”) e tão bem articulada num momento desse onde seria predominante um tipo de reação mais emocional bem como uma linguagem mais espontânea mais emocional, não faz muito sentido narrativo e pode ser visto como uma inconsistência narrativa uma vez que ela articula muito bem palavras complexas, demostrando ali uma certa manipulação do seu discurso e uma ausência de espontaneidade e também pode estar relacionado a um afastamento verbal porque ela não nomeia a situação como, por exemplo: – “Eu estou muito triste pela morte de meu marido… isso caracteriza um afastamento, ela não faz mensagens diretas a ele como: Eu estou triste porque ele morreu, ela apenas define como “Esse tipo de situação” que é um termo ambíguo totalmente diferente  se ela falasse algo como: “- Eu ainda não superei a morte dele!” Portanto esses pontos ambíguos numa narrativa geralmente levantam suspeitas, vemos isso em outros casos como no depoimento de Bill Clinton quando se referiu a Monica Lewinsky (que era sua amante) ele disse: “- Essa mulher…” Ao invés de: minha secretária, caracterizando um afastamento verbal.

Em muitos momentos da entrevista podemos observar que Flordelis utiliza de vários afastamentos verbais, como citei esse tipo de afastamento em excesso pode ser visto como discurso evasivo, como na narrativa dela quando relata o que ocorreu no dia do crime, ela enche de detalhes a história, descrevendo em meio ao relato que a filha veio correndo: “A milha filha que mora embaixo e  dorme na sala perto da porta do…” esse tipo de detalhes excessivos segundo o protocolo SCANS de análise não verbal e o protocolo SCAN do conteúdo na mensagem não verbalizada são uma dissimulação, porque quando queremos contar uma historia verdadeira pra gente nos vamos direto ao ponto emocional , não ficamos preenchendo ela com detalhes, com narrativas evasivas, ou relatando outros pontos da história, invés de darmos mais atenção ao “ponto principal”.

TEORIA DO PASTOR ANDERSON: Uma possível motivação para o crime.

Teria o pastor Anderson, cometido abusos sexuais?

Acontece que uma das linhas de investigação presumia que o pastor Anderson poderia ter tido relação sexual com alguma das filhas adotivas, ao ser questionada sobre isso Flordelis se nega a responder e fica visivelmente irritada com esta pergunta ela clama estar furiosa e diz sentir-se desrespeitada. Os elementos que envolvem esse crime 30 tiros, 30 perfurações no corpo, uma grande gama de perfurações na região genital, podem revelar grande impulsividade de quem executou Anderson, veja bem, não foram 5 tiros (como ela diz “pá pá pá pá pá” ) foram 30 tiros que demonstra um estado emocional elevado em quem fez isso, e não uma frieza, o que novamente tem uma relação muito grande com motivos pessoais e o fato  da grande concentração de tiros na parte genital, pode estar associado a uma mensagem direta que pode ter sido passada do agressor ou dos agressores para o pastor Anderson, ou que “utilizasse” o pastor Anderson para passar uma mensagem pra mídia e novamente reforço a ideia que há grandes motivações pessoais envolvendo esse crime oque tornaria improvável a hipótese de que tenha sido assaltantes ou pessoas que não tivessem relação ou conhecimento direto com o Anderson.

A linha de investigação provavelmente presumiu que os filhos poderiam ter sido abusados por Anderson e assim terem se rebelado contra o pai adotivo como manifesto por abusos sofridos. Vale lembrar que embora não seja confirmado que o pastor Anderson teve ou não relações sexuais com as suas filhas adotivas ou até mesmo pedofilia, ele tem um perfil muito semelhante a de outras pessoas que se envolveram em abusos cometidos contra crianças em comunidades e geralmente com ligações religiosas.

Jim Jones e David Koresh, eram pastores, cometeram abusos e foram baleados até a morte.

Foram os casos como o de  João de Deus, Jim Jones e David Koresh, que assim como Anderson, esse três também tinham os seguintes elementos eram líderes religiosos que pregavam religião derivadas do cristianismo, viviam em comunidade ou casa compartilhada com mais de 15 pessoas das quais todas as pessoas dormiam próximas umas das outras, crianças, meninos, meninas, homens, mulheres, e mesmo com filhos não se mudavam ou construíam novas residências moravam sempre no mesmo local, tinham acesso a criança de forma fácil e muitas vezes sem supervisão de adultos eram líderes de suas famílias e das famílias que estavam hospedadas em sua comunidade ou casa compartilhada, tinham o controle financeiro de tudo e dividiam tarefas da casa para cada pessoa possuíam crianças adotadas em situações ilegais (como mostra na entrevista, Flordelis  diz que dos 55 filhos adotivos apenas 15 eram adotados em Lei). Todo esses pontos são similaridades conhecidas por essas 4 pessoas, ainda não há provas de que o pastor Anderson tenha abusado dos filhos, porem esses outros três citados, abusaram de mulheres, homens, crianças e além de violência sexual, praticaram contra elas, também violência física contra mulheres, crianças e animais. Com exceção do João de Deus os outros três, Anderson, Jim Jones, David Koresh foram baleados até a morte, então pode ser que haja uma correlação entre esses perfis, são todos muito parecidos, pode ser que haja uma correlação entre o abuso sexual infantil e a figura do Anderson, pode ser que haja.

REVELAÇÃO DO CASO: Investigadores concluem o caso em 2020.

Alguns dias atrás, a investigação do MP e da Polícia Civil do Rio de Janeiro, finalizou suas diligências, oferecendo a acusação de Flordelis como “mandante” do crime. Nas palavras dos oficiais envolvidos no caso “Esse tipo de crime, revela que o culpado geralmente é alguém próximo ou da família”.

Ainda além disso, a investigação revela que Flordelis já tentava matar Anderson há 2 anos, por envenenamento (enquanto ele comia). Um dos filhos de Flordelis, que “assumiu ter atirado em Anderson”, disse em depoimento a polícia, que teria matado o padrasto (Anderson) pois suspeitava de que ele teria abusado de uma de suas irmãs.

Flordelis, por ser deputada, não pode ser presa preventivamente, por ter foro privilegiado.

O Desfecho de todo esse caso ainda está por vir.

Obrigado por todos que leram até aqui, abraços!

Cursos Metaforando

Olá Pessoal, tudo bem com vocês?

Recentemente iniciei a ministração dos cursos oficiais de Linguagem Corporal pela Metodologia que aplico nos vídeos do canal Metaforando. Tivemos uma primeira turma com mais de 50 alunos (Realizada em São Paulo – SP). E o aproveitamento dos alunos foi enorme (estamos editando os vídeos depoimentos de alguns alunos para repostar no canal,). Desde estudantes universitários, profissionais em design e técnicos de informática, até advogados, promotores de justiça, e oficiais da área federal, todos efetuaram uma taxa de acerto de expressões faciais superior a 60% após apenas 4 horas de treinamento no workshop presencial “A FACE DA MENTIRA”.

resize 1

Estaremos passando pelas principais capitais do Brasil, até o fim do ano (na tentativa de cobrir a grande maioria delas) e divulgaremos os cursos em todos os canais de comunicação do Metaforando (Instagram, Youtube, Facebook, Podcast e Blog).DSC_0236

Para realizar sua inscrição nos cursos, basta ficar atento aos canais, ou cadastrar seu e-mail aqui no blog, para que dessa forma, toda as datas e cursos sejam visualizadas por você.

Nos vemos por aí, bons estudos!

Abraço sem proxêmica íntima.

 

Vitor Santos.

Analisar Igual Lie To Me?

Olá meus caros! Após um longo tempo sem postar nada por aqui, hoje, estou voltando às atividades do Site e do Blog. Venho comunicar que além de publicações semanais, contaremos com postagens de Podcasts semanais também.

Hoje estou inaugurando os Podcasts do Metaforando, com o primeiro episódio abordando sobre as dificuldades práticas de se analisar a face dos outros, e o que realmente conseguimos analisar na face. Linguagem Corporal é um tema muito complexo, é necessário entender quais pontos são válidos, e quais são apenas rumores (e quando falamos sobre micro expressões faciais, o tema vira um “vespeiro”).

Apesar de haver muita coisa na internet falando sobre a face, temos muitos erros teóricos, e alguns erros práticos. Vamos entender o que significa de fato; “Analisar a Face de Alguém”.

Analisar Expressões Faciais PARTE 1

As famosas “microexpressões faciais” são, de longe, o campo mais complexo nos estudos associados ao Comportamento não verbal e emocional. Paul Ekman, no fim da década de 60, viajou para Papua Nova Guiné (Juntamente com Wally Friesen), para validar a teoria que “Expressões Faciais são Universais”. Após comprovar metodologicamente que, ao sentirmos uma emoção, nossa face realiza contrações musculares involuntárias, em uma sequência de ações (as AUs = Action Units), que culmina em uma “codificação facial” (Facial Action Coding System), Ekman, Friesen e Joseph Hager, criaram o primeiro (e científico) sistema de taxonomia Facial; FACS (Facial Action Coding System), publicando a sua primeira versão em 1976.

Fonte: https://www.paulekman.com/research/

Nessa série de artigos sobre “Expressões Faciais” irei abordar mais detalhadamente a metodologia de “Analisar Expressões”, sob a perspectiva científica. E o primeiro ponto é;

O QUE ANALISAMOS NA FACE?

au24

Muitas pessoas me perguntam “A pessoa sentiu RAIVA nessa hora? mas raiva de que?”, “Qual o motivo dessa emoção?”, “Ela sentiu nojo só por causa disso?”…

Resumidamente, me perguntam sobre a motivação de determinada emoção.

Embora o próprio Ekman realce que “Há gatilhos universais para emoções, como por exemplo; perder um filho, é um gatilho universal para TRISTEZA”, e Damásio frise que “Há protocolos de execução, padrão, no cérebro, para cada emoção primária”, ainda não temos uma maneira científica de dizer, exatamente, o que a pessoa “pensou”, apenas observando sua expressão facial.

Por isso usamos protocolos de informação (em análises periciais), para cruzar informações obtidas em um POI (se você não sabe o que é POI, dá uma olhada nesse vídeo do canal), com estudos científicos já feitos sobre esses canais de informação do corpo, e obter assim, uma maior probabilidade de predizer o comportamento alheio (mas isso fica pra vídeos e postagens futuras).

Sendo assim, podemos afirmar, cientificamente, que podemos analisar, na face;

  • EMOÇÕES: A musculatura facial, enervada pelo Nervo Facial (NC7), realiza de maneira involuntária, contrações simétricas e simultâneas, quando uma emoção é processada no cérebro (adendo; a expressão de DESPREZO é a única que se apresenta de forma unilateral). Por meio de combinações de ações musculares, na face, efetuamos o “SCORE” (marcação) de uma codificação facial, e a mesma, gera um resultado, mais propenso para uma, ou outra das 7 emoções universais (RAIVA, FELICIDADE, MEDO, TRISTEZA, NOJO, DESPREZO, SURPRESA). Essa codificação facial (será mais abordada futuramente) pode ser vista abaixo;

    7 - 20+25
    AUS 20+21++25+5+7+1+2+4 (38) codificam a emoção MEDO.
  • UMA EMOÇÃO DE CADA VEZ:  Como é explicado em “Emotions Revealed – Paul Ekman” e reforçado em “What Face Reveals – Ekman, Friesen, Rosenberg”, a face apenas processa uma emoção de cada vez. O que difere do cérebro, que pode processar muito mais rápido, gerando uma parcela pequena de sensações afetivas chamadas de “Blend Emotions” que seriam duas emoções misturadas (essa é uma parcela muito pequena, e estudada à parte, não é categorizada como emoção dupla nem nada do gênero). O que acontece é que, como as vias neurais no sistema límbico (via afetiva do cérebro) são muito mais rápidas que as fibras musculares da face, e que os próprios neurônios motores, temos um processamento muito rápido em sequência (as vezes de 3 emoções em menos de meio segundo, como é o caso desse vídeo em que analisei Whindersson Nunes), e uma tentativa da musculatura facial, em acompanhar essas mudanças, o que resulta em transições muito breves, entre uma expressão facial emocional e outra, e isso pode levar ao erro de codificar “duas emoções” na face, ao mesmo tempo.
  • INDÍCIOS DE DOENÇA PSICOSSOMÁTICA: Algumas pessoas podem ocasionar assimetria facial em pessoas, como já foi comprovado em estudos científicos que Crises de Epilepsia, podem gerar paralisia facial, e consequentemente, assimetria (Como foi o caso do Atropelador do Rio de Janeiro, analisado nesse vídeo).
  • EMOÇÕES MOMENTÂNEAS: As emoções são um evento psicofisiológico, com duração máxima de 3 a 4 segundos (vide “Emotions Reveald”, “Descartes Error”, “What Face Reveals”) e assim também são as expressões faciais, podemos analisar apenas a emoção sentida naquele exato momento. Algumas pseudociências como Fisiognomia, analisam linhas de expressão de maneira a predizer o comportamento prévio (ou predominante) em um indivíduo (ex; tem mais linhas de expressão na região glabelar, e uma sobrancelha mais baixa e angulada que outras pessoas, podemos dizer que essa pessoa já faz expressões de raiva, várias vezes na vida…), além disso já ter sido cientificamente refutado (Artigo de Dr. Jorge Gomes Valdéz “Lack of Support for the Association Between Facial Shape and Agression), não segue metodologia validada cientificamente (sem contar no perigo de gerar um viés no analisador).

 

Então, pra reforçar, ao analisar a face de alguém, podemos apenas afirmar qual emoção a pessoa processou naquele momento (emoções duram no máximo 4 segundos, o que ocorre depois disso é um processo cognitivo chamado sentimento). Não podemos atestar se a pessoa lembrou de algo, pensou no conto da carochinha, ou imaginou que estava em nárnia. Por meio da emoção analisada, podemos julgar incongruência, ou congruência, na mensagem verbal (seguindo protocolos de Linguagem Corporal).

Espero que tenham gostado, e vamos em frente com mais estudos!

Abraços, sem proxêmica íntima!

Vitor Santos.

Referências

Livros: Emotions Reveald – Paul Ekman, What Face Reveals – Paul Ekman, Wallace Friesen, Erika Rosenberg.
Artigos: https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S1059131102001735, https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/556826

 

Tipos de Gestos – Linguagem Corporal

“Cinésia”, Ciência que compreende os movimentos do corpo, tem estudos nos campos “gestuais”, relacionando gestos à comportamentos. Os Principais Tipos de Gestos, são;

1 – ILUSTRADORES: 

point-finger2
“Ali em cima”

Os gestos ilustradores, têm por função, como o próprio nome diz “ilustrar” a mensagem verbalizada. Ou seja, eles geralmente são utilizados como complemento da mensagem falada (como quando alguém indica um local pra você, verbalmente, e aponta). Nesse roll podemos ter os;

Indicadores: “Ali”, “Aqui”, “Lá”.

Reguladores: “Mais alto”, “Menos”, “Mais devagar”.

Ilustradores Gerais: “Aí ela bateu nele assim (faz o gesto)”.

 

2 – EMBLEMÁTICOS: 

140472118
“Aaaah, vai se fu#*!”

Gestos emblemáticos, diferentemente de ilustradores, são utilizados para “representar emoções”, ou seja, eles são utilizados no lugar de mensagens verbais. Temos gestos emblemáticos, para emoções de valência positiva, e negativa. Exemplos;

Positivo: “OK”, “Jóia”.

Negativo: “Dedo do meio”.

 

 

 

3 – “MAP”:

hands-closed-prayer-5397373
“Vai dar tudo certo”

 

Os gestos do tipo, Manipuladores, Aadaptadores e Pacificadores (“MAP”) estão associados a alteração de estados emocionais, do calmo, para o ansioso, e vice-versa. Quando nos auto-pacificamos, esfregamos as mãos, começamos a “Manipular” o relógio, ou uma peça de roupa, estamos descarregando a tensão e ansiedade, para um ponto físico, no objetivo de alterarmos o estado de ansiedade para neutro, ou, calmo. Se tocar, se massagear, ou um movimento constante com algum objeto, podem ser indicadores de MAP.

Gestos na Conduta Dissimulativa; Como o próprio Paul Ekman diz em “Telling Lies”, é necessário observar por “Quebras de Padrão”, temos pessoas que já são mais propensas a gestos ilustradores, outras que já são mais propensas a emblemáticos, e temos pessoas, que praticamente não movem as mãos ao falar. A quebra desse comportamento pode ter significado de “Incongruência”. Acompanhe os próximos posts, sobre gestos!

Abraço sem proxêmica íntima!

Lembrando; Linguagem Corporal é Predominantemente cultural (diferente de Microexpressões Faciais), portanto, use as dicas com cautela.

Como analisar pessoas?

Olá, tudo bem com você? Já quis entender mais, sobre os outros? 

Bom, vamos começar entendendo um pouco mais sobre quem vos fala (ou escreve).

Meu nome é Vitor Santos, criador do canal Metaforando (conhece?). Tenho 24 anos de idade, e minha formação na área artística é em “Artes Cênicas”, e Ator teatral, porém, sou conhecido como “Scanner Humano”, pelas minhas habilidades de observação em Linguagem Corporal.

Possuo certificação nas áreas básicas de linguagem corporal (kinésica, gestos, proxêmica), e certificação avançada em “Microexpressões Faciais” (Na metodologia do sistema FACS – EMFACS). Estudo essa disciplina (LC) desde 2011.

Após algum tempo sendo uma pessoa com “Problemas de socialização”, por assim dizer, fui aprendendo mais sobre os outros, e observando se havia algo de errado comigo (quem nunca né?), e pude constatar que conceitos como “certo e errado” são praticamente inexistentes em Linguagem Corporal, pois quando se entende muito sobre o outro, e sobre como ele o interpreta, você pode faze-lo pensar que você é a melhor pessoa do mundo, e ainda assim, o estar manipulando.

Linguagem Corporal é uma disciplina que, antes de qualquer coisa, serve como potencializador da sua “lateralidade cotidiana”, por assim dizer, ou seja; sua noção (ou falta dela) sobre as pessoas ao seu redor, e como você se comporta perante elas. É também um estudo que abordas as causas e efeitos, que se sucedem sempre (sua expressão facial é a causa da expressão facial em outra pessoa, que repercutirá como efeito, uma expressão nova no rosto dela, que irá causar um afastamento do seu corpo, e isso será um efeito que causará um gesto pacificador na outra pessoa, e por aí vai…).

Convido você a embarcar nessa jornada comigo, enquanto vamos estudando juntos os principais temas de linguagem corporal, sempre se baseando em metodologias científicas.

Um abraço sem proxêmica íntima.

Vitor.